Está aqui

Olival

Bactéria que arrasa olivais já entrou em Portugal. Agricultores alentejanos temem o pior

Chama-se Xylella Fastidiosa, é uma bactéria identificada há cerca de um anos e meio em Alicante e que deixou em pânico os agricultores espanhóis. O impacto desta bactéria repercute-se em quebras drásticas de produção e é visível por causar necroses nas folhas das árvores, sejam amendoeiras, oliveiras e citrinos e mesmo a vinha.

Alentejo: campanha 2018/19 com quebra na produção de azeite

O Alentejo é a região nacional líder na produção de azeite – à volta de 80% da produção nacional - existindo cerca de 180 mil hectares de olival que atingem uma produção aproximada de 95.000 toneladas de azeite.

No entanto, prevê-se uma ligeira queda na campanha 2018/19 – face à campanha anterior e que foi considerada positivamente fora do comum - uma vez que a azeitona apresenta um baixo rendimento (são necessárias mais azeitonas para fazer uma quantidade de azeite determinada), de acordo com associações especializadas do setor.

Ferreira do Alentejo e a sustentabilidade do azeite

O seminário “Sustentabilidade+Eficiência=Valor do olival e do Azeite” decorre no dia 21 de junho, em Ferreira do Alentejo, na Herdade do Marmelo, integrado no ciclo de conferências "Criar valor na mudança 2018".

A organização é da EDIA, da CONSULAI e de O TREVO e tem o patrocínio do Banco Santander Totta e Agrogarante e a iniciativa pretende agregar a sustentabilidade e a eficiência na criação de valor do olival e do azeite na zona de influência do projeto de Alqueva.

OLIVAL TRIPLICOU EM ALQUEVA DESDE 2012

Trata-se da mais importante cultura do Alentejo, beneficiada pelo perímetro de rega de Alqueva e que ocupa no momento 57% daquela área, o que corresponde a cerca de 41 mil hectares.

Segundo o Anuário Agrícola de Alqueva, a área dedicada ao olival mais que triplicou desde 2012, quando então ocupava cerca de 13 400 hectares.

OLIVAL INTENSIVO É O MAIOR PROBLEMA AMBIENTAL DE PORTALEGRE

A associação ambientalista Quercus está a promover uma campanha de alerta ambiental para o ano de 2018, a "12 meses / 12 iniciativas", onde a cada mês vai denunciar aqueles que considera como os maiores problemas ambientais do país e está a apontar o Olival Intensivo como um o grande problema ambiental no Alto Alentejo.

PREÇO DO AZEITE VAI SUBIR. GOVERNO PROMETE APOIO AOS AGRICULTORES

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) garantiu ao ECO que o preço do azeite vai subir na sequência dos incêndios de outubro, já que segundo João Dinis, dirigente da CNA, mais de metade dos olivais tradicionais arderam, a acrescentar à seca que estava a definhar a azeitona, num prejuízo que calcula ser superior a 5 mil milhões de euros.

AZEITE E OLIVAL DEBATIDOS EM BEJA

No próximo dia 3 de outubro, no Nerbe/Aebal, em Beja, decorrem as IV Jornadas Olivum, numa organização da Olivum – Associação de Olivicultores do Sul,

Este ano o foco incide sobre as medidas para a luta contra Xylella fastidiosa, uma praga da oliveira. Também alvo de debate estarão as projeções sobre o desenho ótimo do olival e os 10 anos que mudaram o sector olivícola.

Participarão neste evento a DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, Portugal e da Direcção-Geral de Saúde da Produção Agrária, de Espanha e a Casa do Azeite.

 

ALQUEVA TRANSFORMOU O PAÍS EM 4.º EXPORTADOR DE AZEITE

Portugal importava mais azeite que exportava há menos de uma década. Em 2008 o país era importador líquido de azeite, com um défice de 50 milhões de euros. Hoje a balança comercial inverteu e representou o ano passado um saldO positivo de 170 milhões de euros. Estes números foram apresentados recentemente no Congresso Nacional do Azeite pelo secretário de estado da agricultura, Luís Vieira, que atribui a esta mudança "uma conjugação de fatores" sublinhando as novas áreas de regadio de Alqueva.

BACTÉRIA AMEAÇA "ARRASAR" OLIVAL ALENTEJANO

Chama-se Xylella fastidiosa, é uma bactéria identificada o mês passado em Alicante e que deixou em pânico os agricultores espanhóis. O impacto desta bactéria repercute-se em quebras drásticas de produção e é visível por causar necroses nas folhas das árvores, sejam amendoeiras, oliveiras e citrinos e mesmo a vinha.

O MELHOR LAGAR DO MUNDO ESTÁ NO ALENTEJO

Foi no World’s Best Olive Oil Mills que o lagar da Oliveira da Serra e propriedade da Sovena, em Ferreira do Alentejo, foi distinguido, pelo segundo ano consecutivo, como o melhor produtor de azeite do mundo.

Este concurso, da responsabilidade de uma organização não-governamental e não-lucrativa, baseia-se num ranking de qualidade a que chegam após os resultados obtidos pelos produtores e marcas em "19 torneios internacionais dedicados a azeites extra virgem"