Está aqui

NERPOR

Alto Alentejo quer ficar nas bocas do mundo através de influenciadores

O NERPOR, no âmbito do projeto ALTO ALENTEJO INMOTION, está a organizar a visita de vários «influencers» à região.

Durante os meses de Julho e Agosto, o NERPOR convidou jornalistas, opinion makers, bloguers, os chamados influencers, a passarem alguns dias no Alto Alentejo.

O objetivo é dar-lhes a conhecer tudo o que de melhor o Alto Alentejo tem para oferecer, para que eles através dos seus meios de comunicação divulguem e promovam a excelência dos produtos regionais, a qualidade do artesanato, a gastronomia e património único que oferecem como destino turístico.

Portalegre volta hoje aos grandes eventos empresariais

O Núcleo Empresarial da Região de Portalegre – NERPOR, realiza nos dias 24, 25 e 26 de junho um Fórum Empresarial composto por Seminários Internacionais e uma Mostra de Serviços e Produtos do Alto Alentejo, em Portalegre.

Entre hoje e 25 de junho, vão ser discutidos no auditório do NERPOR vários temas empresariais.

A Revitalização do Alto Alentejo!

Mais que as estatísticas e indicadores económicos é a própria vida das empresas e das pessoas na região que revela, para os que não andam distraídos com o inusitado desenrolar do campeonato ou com os planos para os “bilhões” que se anunciam, que de uma forma geral a economia da região não tem melhorado, sendo urgente “fazer qualquer coisa” para mudar o estado da região!

O Alentejo tem de ir a Bruxelas!

Há já vários anos, no «Terreiro do Paço» de Bruxelas, um conjunto de finos pensadores europeus, descobriram, na ânsia de afirmação da qualidade e diferenciação da sua sábia e bem preparada linha de pensamento, que os fundos europeus já tinham dado o que havia a dar para as chamadas obras do «betão»! Era chegada a vez das etéreas obras do saber, da investigação e do desenvolvimento.

O Ovo ou a Galinha? As empresas ou os postos de trabalho?

Sem aparente conclusão segura, desde tempos imemoriais se discute o que apareceu primeiro, o ovo ou a galinha? Já no que respeita a precedência entre postos de trabalho e empresas, não se afigura haver dúvidas! Sem empresas não aparecem postos de trabalho! Como tal, quando os programas governativos colocam os objectivos de criação de emprego, não o têm feito pela ordem correcta e prioritária. O objectivo tem de ser o crescimento e criação de empresas! Os postos de trabalho surgem depois.

«Lobby» Regional - Precisa-se! Para mudar realmente a face do país!

Conforme já tínhamos anunciado, comentando as frontais palavras da Ministra da Coesão, cá chega agora a comunicação oficial pelo Ministro das Infraestruturas da ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa - Porto. Quero reafirmar desde já não ter nada a opor, antes pelo contrário, só é de lamentar que, à boa maneira nacional, se tenha tardado tanto a tomar a decisão, enquanto milhões eram gastos na busca do « alfa pendular», que após uma dúzia ou mais de árduos e esforçados anos conseguiu poupar 15 minutos no trajecto!

Força Alto Alentejo!!!

Por Jorge Pais, Presidente da Associação Empresarial de Portalegre.

Coesão para o Eixo Atlântico! E o Eixo Ibérico?!

Por Jorge Pais, Presidente da Associação Empresarial de Portalegre

Incentivos ao Investimento no Alentejo - Publicidade enganosa?!

Por Jorge Pais, Presidente da Associação Empresarial de Portalegre

Num Alentejo de baixa densidade demográfica e empresarial, como bem conhecemos, foram recebidas com imensa alegria as notícias de incentivos e apoios efectivos ao investimento para motivarem os empreendedores a avançar com novos projectos geradores de riqueza e emprego.

Núcleos Empresariais Alentejanos querem internacionalizar as empresas

Os Núcleos Empresariais Alentejanos querem internacionalizar empresas agroalimentares alentejanas.

Para atingir este objetivo, os núcleos empresariais de Évora, Beja e Portalegre, montaram o projeto Alentejo Global Export e que tem o programa que pretende garantir o apoio necessário às empresas que pretendam angariar novos clientes externos. Conta com um pacote de investimento na ordem dos 700 mil euros, com recurso a fundos comunitários.

Páginas