Está aqui

Motociclismo

Portugal de Lés-a-Lés atravessa vários pontos do Alentejo

A 24.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés irá partir de Faro, a 10 de junho, atravessando o Alentejo e a Beira interior, e termina em Trás-os-Montes, a 12 de junho.

Segundo o jornal Sul Informação, esperam-se 2000 motociclistas nesta maratona organizada pela Federação de Motociclismo de Portugal. No Alentejo, a maratona passa por Mértola, logo após a passagem do Guadiana.

Além disso, a autarquia de Moura, em parceria com a União de Freguesias de Safara e Santo Aleixo da Restauração, recebe os mototuristas em Safara, mesmo antes da paragem em Mourão.

Miguel Oliveira recebe Chave da Cidade de Santiago do Cacém

A Câmara Municipal de Santiago do Cacém decidiu, em assembleia municipal, atribuir ao motociclista Miguel Oliveira a Chave da Cidade de Santiago do Cacém, que foi entregue ao seu representante, Vítor Ferrinho, durante a Cerimónia de Condecorações do Município, realizada dia 28 de agosto, na Praça Conde do Bracial.

Vespas da Península Ibérica juntas em Moura

Já começaram a chegar ontem a Moura, as Vespas que vão participar na 21.ª edição do Iberovespa.

O Iberovespa é um encontro anual, promovido pelo Vespa Clube de Lisboa, e que reúne em Moura centenas de amantes das motos de marca “Vespa”, como paoio da autarquia que vê no evento uma excelente forma de promover a cidade e o concelho.

São esperadas cerca de 150 Vespas que serão recebidas com um programa muito variado e onde, além do convívio, não faltará animação para todos os que se queiram juntar.

 

Imagem de lobsterjimmy.files.wordpress.com

 

 

E DEPOIS DO ADEUS

Depois de uma longa ausência (ou pelo menos assim pareceu) regresso hoje à minha coluna de opinião no Tribuna, e começo no dia que entra em vigor o Orçamento de Estado para 2016.

A primeira observação que tenho a fazer, é que, pese embora o governo tenha sido de umas eleições decorridas quase há 6 meses, só agora começa a gestão do Governo, porque a realidade insofismável é uma: António Costa começa a gerir segundo os pressupostos que o seu governo definiu.

TEMOS CAMPEÃO...SÓ FALTA TER FEDERAÇÃO

Todos já ouvimos dizer que Portugal é só futebol, e na realidade vemos que o apoio institucional a outros atletas é parco ou inexistente, não só porque a política de patrocínios não permite a participação em provas no estrangeiro, mas porque raramente acompanha o apoio do “pai-trocinio”.