Está aqui

Ministério da Educação

ASSAZ ATROZ

Que exemplo se presta à comunidade quando numa cantina escolar se permite servir às crianças frango cru à refeição? Ou viveremos num País disfuncional onde a “barbárie” impera e ganha força perante o indecente fracasso do papel social do estado, onde uns tudo têm e outros não têm nada?

Relata a comunicação social que, na data em que se celebrava o Dia Mundial da Alimentação, muitas crianças do segundo e terceiro ciclos foram brindadas à refeição com frango cru e arroz banhado em sangue.

Mas há mais! Não se trata apenas de um acaso de uma refeição (mal) servida.

E AS AULAS RECOMEÇARAM...

Mais um ano letivo e os habituais entraves continuam por resolver.

O que no ano transato tinha sido um ponto a favor do Ministério da Educação, este ano, tudo se inverteu.

Escolas sem professores colocados, sem assistentes operacionais suficientes, crianças com necessidades educativas especiais (NEE) sem professores de apoio, obras por fazer ou por concluir, espaços descuidados, enfim…todo um manancial de problemas por resolver que, atravancam o inicio normal das atividades letivas.

BAIXO ALENTEJO FORA DA LISTA DE ESCOLAS A INTERVENCIONAR PELO GOVERNO

A lista de escolas a intervencionar feita publicar em Diário da República pelo Governo deixa de fora as escolas do Baixo Alentejo, o que já mereceu duras críticas da deputada Nilza de Sena, eleita pelo PSD em Beja.

JOÃO COSTA ENCERRA HOJE ENCONTRO EDUCATIVO EM ÉVORA

O Secretário de Estado João Costa preside hoje, 24 de maio, às 17h00, à sessão de encerramento do seminário temático “Encontros Ar riscar VI - (Re)Encontrar e Projetar o Ensino Profissional”, no auditório da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, em Évora.

O encontro é promovido pela Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica do Porto (UCP), no âmbito da Rede de Cooperação de Escolas com Ensino Profissional da UCP.

Imagem de capa de CMA/Fernando Baio 

 

BREVES: JOÃO COSTA HOJE EM ÉVORA

O Secretário de Estado da Educação, João Costa, participa hoje no seminário intitulado “Flexibilização Curricular”, promovido pelo Sindicato Democrático dos Professores do Sul, às 17h30, no Hotel Vila Galé, em Évora.

Imagem de capa da novamagazine.pt

JOÃO RAMOS DEFENDE INTERVENÇÃO DO GOVERNO NA ESCOLA DE SERPA

O coro de vozes preocupadas com a situação na Escola Secundária de Serpa aumenta e a ele junta-se agora João Ramos, deputado do PCP eleito por Beja, que num encontro com o diretor do agrupamento de Escolas N.º 2 de Serpa, garantiu que o assunto já havia motivado uma comunicação há cerca de um ano ao Ministério da Educação mas que a situação daquele escola, a precisar de obras, se mantém inalterável.

João Ramos assumiu perante o diretor do agrupamento daquela escola, que vai pressionar a tutela a comprometer-se com um calendário de obras, conforme adiantou à Rádio Voz da Planície.

NILZA DE SENA "INDIGNADA" COM SITUAÇÃO EM ESCOLA DE SERPA

A deputada do PSD Nilza de Sena, eleita por Beja, diz-se "indignada" com a "situação urgente" que se vive na Escola Secundária de Serpa e que "exige esclarecimentos cabais e uma solução rápida" por parte do Ministério da Educação, que garanta as "condições de conforto indispensáveis ao bom desempenho dos alunos, dos professores e dos funcionários" daquela escola.

Recordamos que a direcção da escola tem alertado para a falta de condições na escola e já pediu uma audiência ao Ministério da Educação, mas até ao momento não obteve resposta.

O PROFESSOR: ESTE CONCURSO NÃO É PARA VELHOS

Das duas, uma: ou isto deve levar uma volta ou está tudo bem e esta crónica não tem qualquer razão de ser. Falo do concurso dos professores, esse momento indescritível para aqueles que têm alguém ligado à classe docente. O final de agosto deste ano voltou a ser esse momento, de incerteza e insegurança, de expectativa e nervosismo, de fé e angústia. Mas cá estamos, em setembro, e no pior dos cenários só voltamos a sofrer em agosto do próximo ano.

QUE O ANO COMECE

Pela primeira vez, desde há alguns anos, a colocação de professores decorreu sem incidentes e sem inseguranças quanto ao futuro daqueles que concorreram.

Os prazos foram cumpridos e, com este cumprimento, os professores conseguirão preparar o seu ano lectivo com alguma antecedência e segurança, algo que lhes tinha sido roubado nos últimos anos.

FEBRE AMARELA

À data em que esta crónica se encontra a ser escrita, estão a caminho de Lisboa, milhares (segundo a comunicação social) de pais e alunos que se irão manifestar contra os cortes no ensino privado.

Não pondo em causa o direito à manifestação é sem dúvida de censurar a utilização abusiva feita por pais e professores dos seus filhos e alunos em toda esta polémica.

Ver crianças em manifestações a gritar palavras como “liberdade” mexe com qualquer um e coloca-nos a pensar seriamente em todo o movimento que se anda a criar em torno da cor amarela.

Páginas