Está aqui

Ministério da Coesão Territorial

Alentejo Litoral recebe 98M€ para minimizar encerramento da Central de Sines

O Governo deverá atribuir um apoio de 98,9 milhões de euros ao Alentejo Litoral para minimizar o efeito na economia do encerramento da Central Termoelétrica de Sines, no âmbito do Fundo para a Transição Justa (FTJ).

Em comunicado, a Comunidade Intermunicipal da região (CIMAL) refere que esta decisão foi comunicada no final de uma reunião realizada na segunda-feira entre os dirigentes da CIMAL e a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Municípios lideram ação do Programa de Albufeiras de Alqueva

A Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz apresentou uma proposta para a criação de um grupo de pressão que exerça as ações necessárias junto da Agência Portuguesa do Ambiente, do Ministério da Coesão Territorial e do Ministério do Ambiente para que seja executado o Programa Especial das Albufeiras de Alqueva e Pedrógão (POAAP).

A informação é avançada pela autarquia em comunicado, que refere que a proposta foi apresentada aos municípios de Alandroal, Elvas, Évora, Moura, Mourão, Portel, Vidigueira, Serpa e Vila Viçosa.

Governo criou mais de 4 mil postos de trabalho no interior

As medidas do Programa de Valorização do Interior (PVI) já permitiram a criação de mais de 4 mil postos de trabalho no interior do país, em quase três anos, avançam dados do Governo.

De acordo com o ministério da Coesão Territorial (MCT), citado pela Lusa, no final de junho, o eixo do PVI “Captar Investimento e Pessoas para o Interior” permitiu a criação de 4 060 postos de trabalho, 274 dos quais em regime de teletrabalho.

60 milhões de euros para diversificar empresas do Alentejo Litoral

As candidaturas para apoiar com 60 milhões de euros a diversificação económica e a criação de emprego nos territórios do Pego/Médio Tejo e Sines/Alentejo Litoral já se encontram abertas, anunciaram os ministérios do Ambiente e Ação Climática e da Coesão Territorial.

Em comunicado, o Governo refere que o apoio visa “compensar os impactos negativos do processo de transição para uma economia descarbonizada, que levou ao fim da produção da energia elétrica a partir de carvão nas centrais termoelétricas do Pego e de Sines”.

Estrangeiros vão ter incentivos para se fixarem no interior do País

O Governo vai alargar a medida Emprego Interior MAIS – Mobilidade Apoiada para um Interior Sustentável às pessoas residentes em países estrangeiros que decidam mudar-se para o interior do País para trabalhar.

Em comunicado, o Ministério da Coesão Territorial adianta que, “ao abrigo desta medida, é atribuído um apoio financeiro direto de até 4.827 euros a quem se muda do Litoral para o Interior de Portugal para trabalhar. No caso dos cidadãos residentes em países estrangeiros, a mudança passará a poder ser feita diretamente do exterior para estes territórios”.

11 empresas de Portalegre recebem Apoio à Produção Nacional

Onze micro e pequenas empresas do Alto Alentejo assinam hoje, quarta-feira, no Instituto Politécnico de Portalegre, contratos no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN).

De acordo com a Renascença, as empresas, que operam nos setores da indústria, restauração e turismo, vão investir mais de um milhão de euros, com o apoio de 600 mil euros dos fundos europeus do Programa Operacional do Alentejo 2020.

Governo investe 6 milhões em empresas para apoio à produção nacional

Na passada segunda-feira foram assinados, nas instalações da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL), em Beja, os primeiros contratos no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN), dos quais sete micro e pequenas empresas do Baixo Alentejo vão investir mais de 860 mil euros, com um apoio de 347 mil euros do programa operacional regional Alentejo 2020.

Governo vai criar espaços de teletrabalho no interior do país

O Governo quer abrir, até ao final de junho, 53 espaços de teletrabalho no interior do país, em igual número de municípios, para dinamizar estes territórios e facilitar a fixação e atração de pessoas e empresas.

Programa do Governo vai erradicar amianto de 38 escolas alentejanas

O programa nacional para a remoção de amianto de edifícios escolares, cujo prazo de candidaturas encerrou a 31 de dezembro de 2020, recebeu candidaturas provenientes de 149 municípios, para intervenções em 486 escolas de todo o país, divulgou o Ministério da Coesão Territorial.

De acordo com a Renascença, citando o comunicado do Governo, as candidaturas “foram recebidas pelas Autoridades de Gestão dos Programas Operacionais Regionais Norte 2020, Centro 2020, Lisboa 2020, Alentejo 2020 e CRESC Algarve 2020”. No Alentejo, estão contempladas 38 escolas em 23 municípios.

Prazo para candidaturas para retirar amianto de escolas prolongado até final do ano

Os municípios podem submeter as suas candidaturas ao Programa para a retirada de amianto das escolas até dia 30 de dezembro, avança a Sul Informação. O prazo foi prolongado “depois de terem sido identificados mais equipamentos escolares que integrarão o universo de escolas a intervencionar”, refere o Ministério da Coesão Territorial.

Páginas