Está aqui

Megalitismo

Instituições e proprietários querem salvar Anta Grande do Zambujeiro em Évora

A maior anta da Península Ibérica, situada em Évora, e que se encontra em risco de colapso, vai ser alvo de um projeto de recuperação, numa parceria que envolve Município, Estado e os 4 proprietários do terreno onde esta se encontra instalada. A iniciativa prevê um investimento de 300 mil euros e vai candidatar-se ao programa Valorizar, do Turismo de Portugal,  que suportará 70% do valor em causa, ficando os restantes 30% distribuídos pelo Estado, pelo Município de Évora e pelos proprietários do terreno.

Parlamento defende intervenção do Governo no estado de "abandono e degradação" do património megalítico no Alentejo

Estão todos localizados no Distrito de Évora e em "estado de abandono e de degradação" que merecem a "intervenção do Governo" como defendem os projetos de resolução ontem aprovados no Parlamento. Falamos do Cromeleque dos Almendres, Menir dos Almendres, Anta Grande do Zambujeiro e Cromeleque Vale Maria do Meio, ao que se inclui também a 'Villa' romana da Tourega, e que foi alvo de um outro projeto de resolução apresentados pelo PSD no Parlamento e aprovados por todos os partidos políticos, com excepção do PS que se absteve.

Nisa: Menir descoberto por caçador que lia Astérix e Obélix ganhou proteção do Estado

Nisa: Menir descoberto por caçador que lia Astérix e Obélix ganhou proteção do Estado

O menir de Patalou, na Tapada da Bajanca, em Nisa, vai ganhar estatuto de património classificado e, com ele, uma zona de proteção. O monumento é, segundo o arqueólogo Jorge Oliveira, um dos menires mais volumosos da Península Ibérica, explicitamente fálico e encontrava-se tombado, até que em 2015 foi estudado e reerguido por uma equipa de especialistas da Universidade de Évora.

ÉVORA: MORA INAUGURA MUSEU INTERACTIVO DO MEGALITISMO

Hoje é um dia importante para o megalistismo no país. É inaugurado com mais de 100 peças, algumas com mais de 6500 anos, o Museu Interactivo do Megalitismo em Mora (Évora), após um investimento de 2,5 milhões de euros, comparticipados em 85% por fundos comunitários.