Está aqui

Jornalismo

Jornalistas europeus recebem formação em alterações climáticas no Alentejo

Entre os dias 10 a 14 de fevereiro Évora, recebe um grupo de 14  jornalistas de Portugal e da Noruega para um workshop acerca das alterações climáticas.

A organização é da Science Retreats e, ao longo de cinco dias, serão abordados temas como o conhecimento acerca das alterações climáticas, as suas causas, aspetos e a sua aplicação na prática jornalística.

Mais um que já foi, mais um que vem

Chegamos a mais um final de ano. Pode parecer impressão minha, mas com o passar deles, dos anos, parece-me que se sucedem mais rápidos, como o passar dos meses, das semanas, dos dias, das horas…

Fico sempre com a sensação de querer ter feito mais qualquer coisa, de querer ter aproveitado melhor) ainda melhor) cada minuto de 2019.

Com o final do ano chegam também as previsões para o novo ano, as estatísticas e os números do ano que passa e há vários assuntos que gostaria de tocar neste último editorial de 2019.

A intolerância tem limites

É um facto: a net deu largas ao ódio. Poder-se-á dizer que fanáticos e extremistas sempre existiram, mas, sem dúvida, a net abriu-lhes as portas e permite que sejam proferidos impropérios, realizadas ameaças e ofensas de forma gratuita e que antes, em contacto pessoal, nunca seriam feitas, a consciência do humano, na maior parte dos casos, impele o respeito.

A diferença de opinião – quando confrontada - é o que faz crescer cada ser humano e, no geral, a sociedade, isto sempre e quando exista respeito pelo próximo e pela sua opinião.

O jornalismo é Arte

A população necessita de estar informada. Hoje em dia, quem não está atualizado quanto a tudo o que se passa à sua volta, rapidamente se vai sentir isolado da sociedade. Assim, o jornalismo ganhou uma grande importância nos dias de hoje, sendo conhecido até como “o quarto poder”, atrás dos três grandes poderes: executivo, judicial e legislativo.

Defendo que o jornalismo não é apenas um poder, não é apenas uma forma de comunicar informação. O jornalismo é arte.

Jornalismo “fake”?

O Diário de Notícias desta semana, faz destaque para várias páginas de internet, sedeadas no Canadá, com o intuito de criar e espalhar notícias falsas (a publicação aponta o caso do alegado relógio de luxo de Catarina Martins e o da alegada presença da nova procuradora geral da república num jantar com José Sócrates).

Toda esta reportagem, bem como alguns espaços noticiosos em Portugal, levam, mais uma vez, à questão: “em que informação podemos realmente confiar?”.

O MAIOR PROBLEMA DO ALENTEJO É O DESPOVOAMENTO

Luís Godinho, tem 47 anos, é jornalista, correspondente da SIC no Alentejo e colaborador do Diário de Notícias. Realizador dos documentários "O Salto", melhor filme português a concurso no Festival Internacional de Curtas Metragens de Faro (2017), "Chainho", "Aldeia Eterna" e "Marfim". Coautor do livro "António Arnaut Biografia", sobre o "pai" do Serviço Nacional de Saúde. Motivos de sobra para uma conversa com ele.

O JORNALISMO E O ALENTEJO

Ser jornalista não é fácil. Sê-lo no Alentejo é ainda mais complicado. Esta opinião cria consenso entre os jornalistas que trabalham nesta região.

REPÓRTER OU MODELO?

Inicia-se o telejornal. Do lado de trás de bancada, dois âncoras, normalmente um homem e uma mulher. Eles se vestem bem, o cabelo está impecável. A maquiagem, em ambos, esconde eventuais rugas ou imperfeições. Cenário montado: tamanha produção dá uma suposta credibilidade. Dizem que pessoas vistosas se destacam num ambiente. A televisão do século 21 confirma isso.
 

A VOZ DOS SEM VOZ

Vivemos numa sociedade mediatizada, onde tudo o que se faz é dado a conhecer ou através dos meios de comunicação social ou por qualquer outro suporte de difusão de informação, sendo a internet um dos canais mais privilegiados, designadamente através da disseminação e partilha de informação em redes sociais.

JOSÉ FROTA

Faleceu José Frota, jornalista, alentejano, foi correspondente do Semanário Expresso no Alentejo entre 1989 e 2008. O jornalista de 69 anos, faleceu no Hospital de Évora, vítima de doença crónica.

O velório decorre na Igreja dos Álamos e o funeral realiza-se hoje às 15.00, no Cemitério dos Remédios.

A equipa do Tribuna Alentejo endereça à família e amigos as mais sentidas condolências.

Páginas