Está aqui

INE - Instituto Nacional de Estátistica

Alentejo recupera receitas turísticas dos meses de verão pré-pandemia

O Alentejo foi a única região que, nos meses de verão, conseguiu superar os valores das receitas obtidas no mesmo período de 2019, antes da pandemia de covid-19, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, citado pelo jornal Público, entre julho e setembro os alojamentos localizados no Alentejo (não são contabilizadas as unidades de alojamento local com menos de 10 camas) tiveram proveitos totais de 79,9 milhões de euros, 5% acima das receitas desses mesmos três meses em 2019.

Previsões apontam para aumento de 5% na produção de vinho

O Instituto Nacional de Estatística (INE), nas suas previsões agrícolas para 30 de setembro, aponta para um aumento da produção de vinho de 5% este ano, face à campanha de 2020.

De acordo com a mesma fonte, citada pela Rádio Pax, o crescimento da produção na generalidade das regiões vitivinícolas compensa as quebras observadas na região vitivinícola do Minho.

O INE sublinha ainda que “os mostos apresentam bom equilíbrio na relação entre a acidez e os açúcares (ainda que com teores de açúcar inferiores ao habitual), perspetivando-se a obtenção de vinhos de boa qualidade”.

Alentejo: casas vendidas totalizam os 386 milhões de euros

A região do Alentejo foi responsável por 7,3% do volume total de transações de habitações em Portugal, entre abril e junho de 2021, com 3 834 habitações transacionadas, num total de 386 milhões de euros, revela a Rádio Pax.

Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE), que adiantam que, em Portugal, no 2.º trimestre de 2021, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos e 1,4% acima do observado no trimestre anterior.

Alojamentos turísticos no Alentejo apenas perderam 2% de proveitos

O setor do alojamento turístico registou este mês de julho proveitos totais de 296,9 milhões de euros, valor que representa uma subida de 87% face ao mesmo mês do ano passado, mas que é inferior em 44,5% quando comparado com julho de 2019, antes dos efeitos negativos da pandemia de covid-19.

Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), citados pelo Público, os efeitos fazem-se sentir de forma distinta pelo território nacional, com o Alentejo a perder apenas 2% em relação a julho de 2019, com 22,3 milhões de euros de proveitos.

Produção de amêndoa no Alentejo e Trás-os-Montes deverá aumentar 20%

As previsões agrícolas do INE – Instituto Nacional de Estatística, em 31 de julho, apontam para um aumento da produtividade de amêndoa, adianta a Rádio Pax.

De acordo com o instituto, “nas principais regiões produtoras (Trás-os-Montes e Alentejo) as amendoeiras apresentam um bom desenvolvimento vegetativo, com uma carga de frutos muito significativa nos pomares mais novos”.

Preço dos alojamentos no Alentejo supera em 20% valores de 2019

No Alentejo já se verifica que o preço médio por noite, no setor do alojamento, está a superar os valores registados em 2019. A informação é adiantada pelo Jornal de Negócios, que avança que “no Alentejo, os valores praticados em junho deste ano superam em mais de 20%” os que se verificavam antes da pandemia.

Recorrendo aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos ao primeiro semestre deste ano, o jornal aponta para “uma tendência já esperada pelo setor”.

Alentejo é a segunda região onde as dormidas de residentes aumentaram

No primeiro semestre do ano, registaram-se crescimentos no número de dormidas de residentes na Região Autónoma dos Açores (+28,2%) e no Alentejo (+15,4%), enquanto as restantes regiões apresentaram diminuições, segundo os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Censos 2021: Portalegre é o distrito que mais perdeu habitantes

Portalegre é a capital de distrito que mais perdeu população nos últimos dez anos, com uma queda de 10,3%, de acordo com os dados preliminares dos Censos 2021 divulgados, que revelam que apenas seis das 18 capitais distritais ganharam habitantes.

Segundo a agência Lusa, Portalegre é igualmente o município capital de distrito com menor número de habitantes: 22 369 (eram 24 930 em 2011).

Gavião em Portalegre perdeu 886 habitantes nos últimos 10 anos

A população residente em Portugal cresceu menos no ano passado do que em 2019, com o interior do país a sofrer mais com a baixa de residentes, revelam os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A 31 de dezembro de 2020, a população residente em Portugal estava estimada em 10 298 252 pessoas, mais 2 343 pessoas que em 2019. Este ligeiro crescimento está relacionado com o saldo migratório de 41 274 pessoas (44 506 em 2019), que compensou o saldo natural negativo, agravado em 2020 para -38 931 (-25 214 em 2019).

Maior quebra de rendas de casas no país verificou-se no Baixo Alentejo

O crescimento das rendas voltou a acelerar, a nível nacional, no primeiro trimestre deste ano, depois de, no final de 2020, ter sido registado um forte abrandamento, adianta o Jornal de Negócios. Contudo, a maior queda verificou-se no Baixo Alentejo, onde as rendas recuaram 9% para 3,75 euros por metro quadrado.

Páginas