Está aqui

Giuseppe Steffenino

εἰς τήν Πόλιν (na cidade)

A cidade está longe e contém muitas fronteiras: muitas, entre esplendor e miséria - poucas, entre sonho e realidade, entre memória e presente, entre Europa e Ásia. A cidade está sobre sete colinas, como Roma e também Lisboa, e é dividida por um mar que liga dois mares.

Katyn

Numa guerra, a verdade é a primeira vítima.

É da natureza dos mortais pisar ainda mais aqueles que caíram.

Durante o feroz conflito as forças que se opõem adaptam o significado usual das palavras à sua visão e objetivo e esquecem os factos.

 

O presidente de Smolensk, a 25 de junho de 2022, ordenou a remoção da bandeira polaca do monumento que comemora os mortos em Katyn porque "não pode haver bandeiras polacas em  monumentos russos, ainda menos quando o governo polaco se posiciona contra a Rússia".

O massacre que esquecemos

por Giuseppe Steffenino

Fotos de cidades atingidas ou destruídas evocam a memória de histórias ouvidas de tios e avós que, com reticências e distorcendo os nomes, às vezes falavam às crianças de Mykolaiv, de Kiev, do Bug Oriental.

A noite das maravilhas

Por Giuseppe Steffenino

Eu sou agnóstico. Apesar disso, ou talvez justamente por isso, as religiões interessam-me porque pertencem ao modo de pensar das pessoas e muitas vezes moldam suas vidas.

Histórias esquecidas: die Vertriebene (“os expulsos”)

Entre os vários acontecimentos que se seguiram ao final da Segunda Guerra Mundial, a história dos Alemães do Leste Europeu, entre 1944 e 1949, impressiona em termos de números e vastidão geográfica.

Desde o final da Idade Média que existem, em muitas áreas da Europa Oriental, da Lituânia à Turquia, comunidades de língua alemã organizadas com diferentes tradições e formas.

Não há guerras limpas.

As imagens que chegam da Ucrânia são em sua maioria inequívocas e não suspeitas de falsificação. Certamente há vítimas civis e militares, há cidades destruídas e refugiados em fuga. E fica claro quem é o agressor e quem é atacado. Foi também o caso da Crimeia, há alguns anos, e de Sarajevo, Bagdad e Afeganistão.

É difícil para mim lidar com os meus sentimentos complexos e que se vão acumulando, não apenas há um mês.

A observadora invisível

"Como todos os meninos, eu amava e invejava algumas profissões... mas acima de tudo eu gostava de me tornar um mágico... de me tornar invisível. Assim, aprendi ... a substituir a invisibilidade grosseira do manto mágico pela invisibilidade do sábio que olha e conhece, mas que nunca é reconhecido - isso podia ser uma característica essencial da minha história de vida."

Triste, solitário e final

por Giuseppe Steffenino

 

"A guerra por vir não é a primeira. Antes houve outras guerras. No final da última houve vencedores e perdedores. Os pobres entre os vencidos morreram de fome. Entre os vencedores os pobres morreram de fome também. " - B. Brecht, Der Krieg der kommen wird. Svendborger Gedichte, 1926-1938.

 

Caro diretor e caros leitores,

Quando se chama "Pravda" tudo fica mais claro

A 7 de março de 2019, o parlamento russo aprova uma lei para punir com multa aqueles que disserem "notícias falsas" na Internet ou simplesmente mostrarem "desrespeito" ao Governo, à sociedade ou às instituições russas.

Um ano depois, no discurso com que anuncia a operação militar, Putin diz que a Rússia não pretende ocupar a Ucrânia, mas que o objetivo é “defender as pessoas que foram vítimas dos abusos e genocídio do regime de Kiev”.

Páginas