Está aqui

Galp

Finou-se a ameaça do petróleo na Costa Alentejana

A Galp e a Eni tomaram a decisão de abandonar o projeto de prospeção e eventual exploração de petróleo na bacia marítima do Alentejo.

É uma decisão sensata, que resulta da luta de muitos para que a ameaça sobre a costa vicentina e sobre o mar alentejano fosse combatida e eliminada.

É o fim da prospecção de petróleo na costa alentejana. Galp e Eni abandonam projeto

A Galp e a Eni declararam hoje abandonar o projeto de prospeção de petróleo em Aljezur, ao largo da costa alentejana, justificando com "as condições existentes" que  "tornaram objetivamente impossível" prosseguir as atividades de prospecção para futura exploração, resultado das sucessivas providências cautelares interpostas por associações ambientalistas e municípios, a quem os tribunais foram dando razão, com o de Loulé em agosto.

Sines: Autoridade da Concorrência quer acabar com hegemonia da Galp nos combustíveis

Desde 2004 que a Autoridade da Concorrência considera que há elevado grau de concentração e existência de barreiras à entrada nas actividades de refinação e armazenamento de combusttíveis em Sines.

É que a Galp detem a maioria da capacidade de depósitos de importação e refinaria no país, uma realidade que provoca condicionalismos ao nível do acesso a infraestruturas logísticas e limita a capacidade de importação por parte dos operadores e, como tal, afeta o grau de concorrência no sector.

Governo dá mais um ano a Galp/Eni para pesquisar petróleo no Alentejo

O consórcio Galp/Eni tem mais um ano para fazer prospeção e pesquisa de petróleo ao largo da Costa Alentejana. A prorrogação foi dada pelo governo que considera que o consórcio não é responsável pelos sucessivos atrasos que impediram o cumprimento do cronograma de trabalhos acordado.

APATIA E IMORALIDADE

Em termos políticos, o ano de 2017 fica marcado, em Portugal, pela decadência moral e pela rejeição de princípios, mas também, pela desonestidade intelectual e pela ausência de pensamento político transformador.

PROSPECÇÃO DE PETRÓLEO NO MAR DO ALENTEJO DESMENTIDA

A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC) desmentiu que tenham ocorrido "trabalhos de sondagem com vista à prospecção de petróleo" no mar ao largo de Aljezur, como foi divulgado pelos ambientalistas da Climáximo e do Alentejo Litoral pelo Ambiente (ALA), que exigiram esta semana em comunicado uma explicação do Governo sobre “sondagens” que estariam a decorrer na Costa Alentejana após terem dado com um registo de um navio estrangeiro, o italiano Vos Purpose, entre Sines e Aljezur.

BARCO ESTRANGEIRO EM SONDAGENS NO MAR DE SINES. AMBIENTALISTAS ALARMADOS

Os ambientalistas da Climáximo e do Alentejo Litoral pelo Ambiente (ALA) exigiram em comunicado uma explicação do Governo sobre “sondagens” que estão a decorrer na Costa Alentejana após terem dado com um registo de um navio estrangeiro, o italiano Vos Purpose, que está este mês a fazer sondagens "offshore" entre Sines e Aljezur.

ALENTEJO: "PETRÓLEO NÃO NOS VAI TRAZER NENHUMA RIQUEZA"

A Eurodeputada Marisa Matias, eleita pelo Bloco de Esquerda, esteve ontem em Odemira para "dizer não ao furo" de petróleo ao largo da Costa Alentejana. Para Marisa Matias, que falava num comício em Vila Nova de Milfontes, a população tem "um ano para impedir a prospeção de petróleo", que não "nos vai trazer nenhuma riqueza" e que a lógica de empresas "como a Galp não é fazer riqueza para as populações".

Para já dia 12 de agosto está agendada uma manifestação organizada pelas associações ambientalistas na praia de Odeceixe.

REFINARIA DE SINES ENTRA EM GREVE HOJE

Os trabalhadores das refinarias da Petrogal de Sines iniciam hoje uma greve de 5 dias, com início à meia noite do dia 26 de Julho e a terminar à meia noite do dia 30 de Julho.

Segundo o sindicato Fiequimetal, da CGTP, a greve acontece devido "à indisponibilidade" da Galp para negociar melhores direitos sociais para os trabalhadores, "melhores salários" e "maior distribuição da riqueza produzida".

BOATOS VICIOSOS – PARTE 2

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho escreveu um longo artigo de opinião no Jornal Público sobre o caso EDP no qual se defende do que diz ser um "boato vicioso". Pois bem, não querendo ser exaustivo relembro outros boatos viciosos mediáticos que, também, têm como denominador comum os bolsos dos portugueses.

Segundo boato: As Privatizações.

O boato Durão Barroso e Goldman Sachs

Páginas