Está aqui

Frederico Carvalho

Civilização, Animalismo e outros (Fac)Ismos

«Quando uma civilização se abandona toda ao materialismo, e dele tira, como a nossa, todos os seus gozos e todas as suas glórias, tende sempre a julgar as civilizações alheias segundo a abundância ou a escassez do progresso material, industrial e sumptuário.» Eça de Queiroz

Os terrenos das Portas de Avis e a rentrée que Évora poderia ter tido

“As oportunidades não abundam, e raramente as encontramos uma segunda vez.” Luís Buñuel

No início de mais um ano político que agora se inicia, após o bulício da silly season estival poderíamos estar no nosso concelho de Évora a esgrimir argumentos e sobretudo projectos viáveis para os terrenos extra-muros das Portas de Avis e a requalificação desse importante espaço fora da Cerca Fernandina.

Mas não!

O desafio do novo CDS: Pragmatismo na Ideologia

«...) Depois de qualquer eleição a sensação dos políticos - quer tenham perdido quer tenham ganho - é a de que o povo mais profundo acaba de entrar todo num comboio, dirigindo-se, compactamente, para uma terra distante. Esse povo voltará apenas, no mesmo comboio, nas semanas que antecedem a eleição seguinte.» Gonçalo M. Tavares in “ O senhor Kraus”

NUNO MELO EM ÉVORA

O eurodeputado Nuno Melo vai estar em Évora no próximo dia 8 de setembro em Évora para a apresentação do programa eleitoral autárquico da "Coligação Afirmar Évora", que integra o CDS, o PPM e o MPT. A Coligação Afirmar Évora é liderada por Pedro D'Orey Manoel, que se candidata à Câmara Municipal daquela cidade e Frederico Carvalho, candidato à Assembleia Municipal. O evento decorre a partir das 18h00, na Rua de Aviz.

CAMINHANDO NA LENTIDÃO, CARREGANDO O APEGO

«Quando as coisas acontecem depressa demais, ninguém pode ter certeza de nada, de coisa nenhuma, nem de si mesmo.»  Milan Kundera

OS ABUTRES CERCANDO O REBANHO

Esta desafortunada metáfora recorda o drama dos refugiados que tão recentemente tem fustigado a Europa. E apesar de todo o rebanho de refugiados sírios e emigrantes de outros países do Médio Oriente que atravessaram a Síria, terem fugido dos predadores chamados Estado Islâmico, a Europa, o seu oásis, o seu refúgio, ao contrário do expectável, não lhes abriu as portas. Este cantinho do Mundo reconhecido como tolerante, aberto, democrata, solidário, o seu porto de abrigo, esqueceu os seus valores de humanidade e civilidade que tinha arreganhado no pós IIª Guerra Mundial.

QUERIDO EMIGRANTE, É MUITO MAIS QUE UM ADEUS

O Verão já vai para finados e não podia deixar de evocar neste período estival o nosso querido Emigrante.

Conheço, infelizmente muitos portugueses que mais ou menos forçosamente decidiram procurar um novo rumo para as suas vidas. E esta escolha que muitas vezes não é mais que uma imposição ditada pelas suas mais básica necessidades e direitos, influencia tanta coisa, não apenas na vida particular do emigrado, mas da conjuntura económico-social do seu pais de origem.

A liberdade de imprensa, a laicidade europeia e a cultura islâmica radical

Após o hediondo atentado que ocorreu no coração da Europa, atingindo Paris de forma vil e inesperada, toda a comoção e solidariedade causadas pelas vítimas deste acto terrorista levar-nos-ia para uma complacência com o jornal Charlie Hebdo. Mas passado algum do calor próprio da proximidade com o acontecimento, haverá ou não legitimidade de um cidadão querer ser Charlie e se assumir solidário com um jornal marginal, caricatural e que ofende a fé dos cidadãos, europeus e não só, recolhendo epítetos como pasquim nojento [autoria D.

Da Janela do meu Mundo!

Da janela do meu mundo vejo um 2015 fantástico, repleto de animação, de sucesso, de gente e mais gente fervilhando neste espaço intemporal.

Vejo empreendedorismo, vejo sagacidade, vejo oportunismo e vejo alegria e convicção pelas suas raízes. Deste meu pequeno óculo de lente fina, sinto paixão no fazer, sinto alma no dizer, sinto calor no receber. Dentro deste mundo há muito por descobrir não obstante tudo aquilo que se foi revelando tão recentemente.

Páginas