Está aqui

Família

3 sítios no Alentejo a concurso nos melhores destinos de família 2020

Decorre a escolha para os prémios “Destinos Family Friendly de Portugal 2020”, da plataforma de arrendamento de férias Vrbo.

A concurso estão 18 locais e há 3 alentejanos; na categoria “Campestre”, está nomeada Portalegre. Na categoria “citadina”, a representante alentejana é Évora e, na categoria “Balnear”, é Porto Covo, em Sines, quem disputa a eleição.

Já não consegue estar em estar em casa? Temos sugestões para si

Por estes dias, tem valido algum sentido de humor para descontrair. Algures pelas redes sociais circulava o seguinte “Nestes dias até tenho falado com a minha mulher. Não sabia que era tão simpática.” ou o vídeo de um pai espanhol que está descontraidamente sentado no sofá, a beber sidra e a comer uns aperitivos enquanto vê um filme, sempre dizendo “tudo calminho” enquanto aponta a câmara para a sala e se vê (obviamente em tom de brincadeira) dois filhos pequenos atados à cadeira.

Chegou o Natal… houve discussão como sempre e há 4 razões para isso

Finalmente, o Natal, a época do amor, da família, das discussões…

Sendo honestos, é quase impossível existir uma refeição em família, ver televisão ou manter uma conversa durante esta época festiva sem que exista uma discussão entre familiares, mesmo evitando os temas quentes como a política ou o futebol.

NATAL + FAMÍLIA JUNTA = A DISCUSSÕES

É quase impossível existir uma refeição, ver televisão ou manter uma conversa durante esta época festiva onde não exista uma discussão entre familiares.

Com frequência, os canais televisivos passam, nesta época festiva, vários filmes em que “arte imita a vida” e que expressam e exemplificam a vida real durante o Natal; recordamos “Sozinho em Casa”, “Amor acontece”, “Natal em família”, “Um Natal muito, muito louco” entre outros. Perante estes filmes, se não no total, pelo menos parcialmente, despem milhares de famílias por esse mundo fora e expõe algumas dessas realidades.

FERVER EM POUCA ÁGUA

Fazia mesuras o dia inteiro. Andava meio tonto metade do dia e dormia a outra metade. Havia quem dissesse lá na cidade grande que era maluquinho. Talvez fosse. Não se sabia muito bem se era por causa das mesuras que fazia o dia inteiro, se porque andava tonto meio dia ou se porque dormia a outra metade. Ele não se chateava muito com isso. Nem se importava lá com as coisas que diziam dele. Fazia mesuras. Antes de se tornar meio tonto metade do dia era artista de circo e tinha andado por tantas terras como letras do alfabeto multiplicadas por vinte. Bem, tinha andado por muitos lugares.

O AMOR É CEGO... E EM GARRAFAS

“O amor é cego” é um dos mais conhecidos ditos populares; serve para justificar muitas vezes que uma vontade, um sentimento, um objetivo, quando é muito forte não se olha a meios para o atingir, nem se ouvem outras vozes que não a dessa vontade.

Foi o que aconteceu com João Rosado, 44 anos, natural de Évora, professor de matemática e apaixonado pela terra, pelas oliveiras e pela herança familiar.

DISCUSSÕES FAMILIARES? NORMAL

É quase impossível existir uma refeição, ver um filme etc. durante esta época festiva onde não exista uma discussão entre familiares.

E há filmes que costumam passar nesta época festiva e em que “arte imita a vida” e que expressam e exemplificam a vida real durante o Natal; recordamos “Sozinho em Casa”, “Amor acontece”, “Natal em família”, “Um Natal muito, muito louco” entre outros. Perante estes filmes, se não no total, pelo menos parcialmente, despem milhares de famílias por esse mundo fora e expõe algumas dessas realidades.

HOMENS (E MULHERES) DE NEGÓCIOS

Esta semana tive a oportunidade de rever o filme “The Company Men”, baseado na história de vários funcionários de uma grande empresa, que são forçados a reorganizar as suas vidas após uma “restruturação financeira” levada a cabo pela sua entidade patronal que os forçou a sair de um dia para o outro.

Habituados a vencimentos e prémios confortáveis, de um momento para o outro estes homens viram-se forçados a colocar as suas vidas na empresa em duas caixas e a partir para outra aventura, sem qualquer justificação plausível para o sucedido.

É FEITIO…

Há coisas que o vento deixa passar e outras coisas que a tempestade segura, agarrando-se com ventos e águas. Não é defeito, é feitio. Há pessoas que são em si uma tempestade, um turbilhão de movimentos e uma tempestade que se agita em volta de si próprio. Não seguindo todas o mesmo princípio, tornam-se estas tempestades em pequenos copos de água. Não é defeito, é feitio.

WORKSHOPS PARA FAMÍLIAS NA FEA

O Fórum da Fundação Eugénio de Almeida vai realizar workshops para as crianças e famílias já no início de setembro. O primeiro – Contos Pintados – decorrerá já no próximo fim de semana, no sábado, dia 3, pelas 18 horas e consiste numa interrelação entre contos e pintura, misturando tintas, animais, aventura e muita imaginação, num encontro com conceção e orientação de Sílvia Chambino. A atividade destina-se a crianças com mais de 5 anos e o preço é de 2,5€ por pessoa.

Páginas