Está aqui

Exposição

Arraiolos expõe obras de Júlio Pomar

Desde quinta, que Arraiolos tem patente trabalhos e obras do artista plástico Júlio Pomar.

Autor de uma obra multifacetada centrada na pintura, desenho, cerâmica e gravura, Júlio Pomar pertenceu à terceira geração de pintores modernistas portugueses; faleceu no ano passado.

Esta exposição, “Júlio Pomar: Ver, Sentir, Etc. - Obras do Acervo do Atelier - Museu Júlio Pomar", com curadoria de Sara Antónia Matos e Pedro Faro, inclui obras de várias épocas e tem por base o título de um texto escrito pelo artista em 1951.

Uma Beja “Republicana”

Já está patente, no Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, em Beja, a exposição “Beja Republicana”.

Com coordenação científica de Constantino Piçarra da Universidade Nova de Lisboa, a exposição é promovida pela Câmara Municipal de Beja que pretende que a exposição venha a contar a história da cidade nos dezasseis anos que se seguiram à instauração da República em Portugal, o período da I República, de 1910 a 1926.

Há um novo ciclo de exposições para ver em Évora

No Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida (FEA), em Évora, há, desde ontem, um novo ciclo de exposições.

São três novas exposições, com foco no objeto: «Fahrenheit, a consagração de Babel», «Boundless Objects» e «Arquiteturas Pintadas – figuração pós-conceptual espanhola».

Obras de 30 autores esperam por si no Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja

São mais de 30 os autores que têm os seus trabalhos expostos no Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

Oriundos de 10 países - Bélgica, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos da América, França, Holanda, Inglaterra, Itália e Portugal - há autores para todos os gostos, dos populares, aos alternativos, passando pelos cómicos, introspetivos, super-heróis etc, e, entre eles, alguns que deram origem a bandas desenhadas bem conhecidas como "Michel Vaillant" e "Blake & Mortimer".

Uma exposição à lâmina

No Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida (FEA), até 29 de setembro, está patente a exposição “Maria Lino - lâmina olhar animal” e que é a mais ampla mostra realizada em Portugal do trabalho de uma das mais notáveis artistas portuguesas.

Esta exposição reúne desenhos, esculturas, objetos e material documental, muitos dos quais inéditos, e é uma oportunidade de dar a conhecer melhor esta artista e as formas como a sua obra - centrada na relação com o lugar, com a natureza - explora as coisas no mundo e o mundo nas coisas.

Ferro recriado e com nova vida para ver em Monsaraz

Estará patente, na Igreja de Santiago – Galeria de Arte, em Monsaraz, até 5 de maio, a exposição “Recriar” – um conjunto de esculturas em ferro da autoria de João Concha.

Numa mostra organizada pelo Município de Reguengos de Monsaraz, esta exposição integra o ciclo de exposições “Monsaraz Museu Aberto” e pode ser visitada das 9h30 e as 13h e das 14h às 17h30.

Exposição homenageia Vespeira em Aljustrel

Já está patente no Espaço Oficinas de Formação e Animação Cultural, em Aljustrel, a exposição de pintura "Revisitar Vespeira: 1925-2002", dedicada ao pintor surrealista português Marcelino Vespeira.

A obra desta figura incontornável da pintura portuguesa do século XX estará patente até 2 de fevereiro.

Marcelino Macedo Vespeira, nasceu a 9 de setembro de 1925 no Samouco e faleceu em 2002 depois de ter atravessado vários movimentos artísticos como o neorrealismo, o abstracionismo geométrico e lírico e o surrealismo.

Odemira recebe uma Macro Exposição

Da autoria de José Pacheco, a Biblioteca Municipal José Saramago, em Odemira, vai exibir a exposição de fotografia “Mundo Macro II”, de 3 e 29 de agosto.

Esta é a segunda parte da exposição que passou pelo mesmo local em 2017, o “Mundo Macro” e que volta para dar novamente uma nova visão do mundo surpreendente e bizarro da vida em miniatura que vive em nosso redor através da fotografia macro.

José Pacheco - natural de Lisboa e residente em Odemira há cerca de 30 anos - é um fotógrafo de natureza que ficou deslumbrado com a biodiversidade existente em Odemira.

"Reguengos de Monsaraz: Alentejo Puro"

"Reguengos de Monsaraz: Alentejo Puro" é o nome que a pintora Ana Rita Janeiro deu ao conjunto de obras suas e que estão patentes na Bienal Cultural Monsaraz Museu Aberto.

A exposição é composta por um conjunto de telas em óleo que abordam o riquíssimo património material e imaterial de Reguengos de Monsaraz, terra que representa, aos olhos da artista, todas as riquezas que dão uma fama mundial tão merecida ao Alentejo. Está patente até 29 julho, na Casa Monsaraz.

Alandroal e Alentejo nas pinturas de Biberstein

Estará patente na Culturgest – até 9 de setembro - aquela que é considerada a maior retrospetiva de sempre de Michael Biberstein.

O pintor suíço-americano Biberstein, viveu mais de três décadas em Portugal, no Alandroal, onde faleceu em 2013.

Nascido em Solothurn, na Suíça, a sua pintura caracteriza-se por quadros de grande formato, pelo abstracionismo, pelas paisagens e pelas cores neutras com predominância de pretos e cinzentos.

Páginas