Está aqui

Exportações

Exportação de frutos vermelhos bate recorde de 247 milhões de euros

É o Litoral Alentejano a região portuguesa de onde saem a maior parte destes frutos, sobretudo para os Países Baixos, Alemanha e Espanha.

Apesar da pandemia, em 2020, e com as exportações nacionais a caírem cerca de 10%, as exportações de pequenos frutos nacionais – framboesas, amoras, mirtilos e morangos – cresceram 5,5% comparando com 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre o comércio.

Este aumento fez as vendas cifrarem-se num total de 247 milhões de euros no ano passado .

 

Imagem de doctorulzilei. ro

Empresas alentejanas atingem 2,9 mil milhões de euros em exportações

As empresas alentejanas encerraram o ano de 2019 com um volume de exportações de 2,9 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de cerca de 300 milhões de euros comparativamente ao ano anterior, adianta a Rádio Pax.

Os dados, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), referem que Baixo Alentejo e o Alentejo Litoral “valem” dois terços das exportações de toda a região, sendo Sines o concelho que mais exporta.

Vinhos alentejanos: 2020 trouxe crescimento nas vendas para o Brasil

Foram cerca de 8% de crescimento que as exportações dos Vinhos do Alentejo para o Brasil tiveram desde o início de 2020, comparado com o mesmo período de 2019, segundo dados da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

Terão sido exportados mais 216.516 litros de vinho para o Brasil, como revelou o presidente da CVRA, à Lusa, Francisco Mateus.

Vinho do Alentejo já representa 25% das vendas de vinhos portugueses no Brasil

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) registou, no primeiro semestre de 2020, um aumento de 7% nas exportações para o Brasil. Este crescimento motiva, agora, uma apresentação do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA) àquele que é o principal mercado internacional para a região. A iniciativa está agendada para a próxima quarta-feira, 07 de outubro, às 19h00, nas plataformas online da CVRA.
 

Alentejo vendeu 1,2 milhões de litros de vinho para os Estados Unidos

Foram exportados para os Estados Unidos, no ano passado, mais de 1,2 milhões de litros de vinho alentejano.

A receita, em termos monetários, representa cerca de 4,7 milhões de euros. O dados foram agora divulgados, num altura em que a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) apresentou a uma comitiva de jornalistas norte-americanos, o premiado e inédita certificação do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA).

Hong Kong já vai poder comer vitela alentejana

Duas empresas alentejanas já estão habilitadas a exportar carne de bovino para Hong Kong.

As autoridades chinesas aprovaram que seis empresas nacionais – onde se incluem duas alentejanas, três da região de Lisboa e Vale do Tejo e uma da região Norte – pudessem exportar a sua carne para esta região autónoma chinesa, num processo de certificação que decorria desce outubro do ano passado.

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, no seu site, publicou uma nota referente ao tema, congratulando-se com a aceitação da carne nacional neste território chinês.

 

 

Alentejo vende o dobro do vinho para o Brasil

Em apenas quatro anos, em valor, as exportações de Vinhos do Alentejo para o Brasil duplicaram.

No ano passado, foram exportados 2,6 milhões de litros de vinho para o Brasil, um aumento que a Comissão Vitivinícola justifica com o maior conhecimento que os brasileiros têm agora sobre os vinhos portugueses.

Alentejo lidera nos vinhos

Os dados referentes a 2018, e apresentados no decorrer do Fórum Anual Vinhos de Portugal, promovido pela ViniPortugal, revelam que o Alentejo continua líder destacado no mercado de vinhos em Portugal.

Quer em valor, quer em quantidade, o Alentejo ocupa valores próximos dos 40% do total nacional.

Alentejo: negócio de 7,5 milhões de euros com a China

Será do matadouro da Maporal, em Reguengos de Monsaraz, que sairão 100 contentores de carne de porco para a China, um dos países mais afetados com o mais recente surto de peste suína e já dizimou milhões de animais na Ásia.

Este negócio está avaliado em 7,5 milhões de euros e vai ajudar a debelar a grande necessidade de importação de porco para a China, onde o porco é representa cerca de 60% do total do consumo de proteína animal no país.

Alentejo: "Se produzíssemos mais, vendíamos mais" porcos à China

Do matadouro da Maporal, em Reguengos de Monsaraz, saem todas as semanas perto de 150 toneladas de carne com destino ao oriente. “E se produzíssemos mais, vendíamos mais”, garante o CEO Marco Henriques ao Dinheiro Vivo, numa peça assinada pela jornalista Ana Sanlez em https://www.dinheirovivo.pt/empresas/maporal-os-porcos-do-alentejo-que-conquistaram-a-china/

Páginas