Está aqui

Exploração Mineira

BE alerta para desastre ambiental e social em Évora

A Comissão Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda (BE) alerta para desastre ambiental e social no distrito de Évora e que pode afetar três concelhos: Évora, Montemor-o-Novo e Vendas Novas.

O problema, de acordo com o BE, é que a empresa de exploração mineira Exchange Minerals Ltd., com sede no Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, requereu em Portugal a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de ouro, prata, cobre, chumbo, zinco e minerais associados, numa área que afeta os três concelhos referidos.

Neves-Corvo: turcos procuram minério

A empresa turca ESAN Eczacibasi vai avançar com trabalhos de prospeção mineira em Neves-Corvo.

A prospeção terá lugar numa total de 202 km2 denominada "Rosário", em Neves-Corvo, Castro Verde, na Faixa Piritosa Ibérica e representará um investimento na ordem dos 2,5 milhões de euros, mas que aguarda ainda autorização da Secretaria de Estado de Energia para avançar com a prospeção.

Insistem em procurar ouro no Alentejo

A empresa canadiana Epower Metals quer procurar ouro e prata no distrito de Évora de já submeteu um pedido ao Estado Português para esse efeito.
 
O aviso publicado em Diário da República refere ainda que a empresa pretende a pesquisa de depósitos minerais de cobre, chumbo, zinco, estanho, tungsténio e outros depósitos metálicos, além de ouro e prata.
 

DO ALENTEJO CONTINUARÁ A SAIR ZINCO E COBRE

Os responsáveis pela exploração das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, vão aumentar a extração de zinco e reduzir a de cobre, no próximo ano.

O anúncio foi realizado pelo consórcio sueco-canadiana Lundin Mining, proprietários da Somincor, concessionária das minas alentejanas e que investimentos estimados em Neve-Corvo, para 2017, na ordem dos 50 milhões de dólares. Em 2012, a Somincor previa um investimento de 700 milhões de euros em cinco anos e que tem vindo a ser realizado gradualmente.

ALENTEJO TEM AINDA MAIS OURO

Já no ano passado, em agosto, tínhamos noticiado que a Colt Resources - um grupo mineiro canadiano – responsável pela exploração das minas de ouro na região de Boa-Fé/Montemor-o-Novo, desde 2007, queria investir mais 150 milhões de euros em Portugal, sendo que parte desse investimento incidia em no Alentejo, na zona de Borba e no Cercal.