Está aqui

Ensino Superior

Odemira atribui 76 bolsas de 95 mil euros a alunos do concelho

A Câmara Municipal de Odemira vai atribuir um total de 76 bolsas de estudo para alunos do concelho que frequentam o ensino superior, assim como três prémios de mérito para alunos do ensino secundário no ano letivo 2021/2022, no valor total de 95 mil euros.

Em comunicado, a autarquia explica que “aprovou a renovação de 42 bolsas de estudo a alunos que já frequentavam o ensino superior e a atribuição de 34 novas bolsas de estudo para alunos que iniciaram o seu percurso académico no presente ano letivo”.

Castro Verde tem 6 computadores portáteis para alunos do Ensino Superior

O projeto “Andorinhas Fazem Castro Verde” abriu as suas candidaturas para a atribuição de seis computadores portáteis a alunos do Ensino Superior, na sequência dos montantes angariados nos eventos que organizou entre maio e outubro de 2021.

Segundo o município de Castro Verde, “concluídos os processos de atribuição de Bolsas de Estudo por parte da Direção-Geral de Ensino Superior (DGES) e do município”, o projeto vai “agora proceder à seleção dos 6 estudantes a quem serão atribuídos os computadores, adquiridos na loja FC Informática, em Castro Verde”.

387 novos alunos colocados no Politécnico de Portalegre, 320 em Beja

Terminada a primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, conclui-se que no  Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) foram colocados 387 novos alunos, um número que demonstra crescimento face a 2020 (cerca de 350 alunos).

Com 585 vagas disponíveis - divididas nas quatro escolas que compõem o IPP - o curso mais concorrido o de Enfermagem seguido de  Gestão, Enfermagem Veterinária e Jornalismo e Comunicação.

Instituto Politécnico de Setúbal vai abrir escola superior em Sines

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vai abrir uma escola de ensino superior em Sines, em colaboração com o município, para servir o litoral alentejano, região para onde estão já em curso, ou previstos para curto e médio prazo, investimentos de milhares de milhões de euros, adianta o jornal Público.

A parceria entre o IPS e o município de Sines é formalizada hoje, segunda-feira, na cidade alentejana e pretende colmatar a falta de ensino superior na zona do país que tem na calha os maiores projetos empresariais.

Ourique investe 30 mil euros em bolsas de estudo do Ensino Superior

A Câmara Municipal de Ourique acaba de validar 30 das 36 candidaturas às Bolsas de Estudo do Ensino Superior submetidas a apreciação, num investimento total de 30 mil euros.

Em comunicado, a autarquia refere que a validação das candidaturas se prendeu pelo facto de “preencherem os requisitos de atribuição nos termos do Regulamento Municipal de atribuição de Bolsas de Estudo”. Além disso, as bolsas “correspondem a um valor mensal de 100,00 euros (por aluno) durante os 10 meses do ano letivo 2020/2021”, totalizando um investimento municipal de 30 mil euros.

Sines está a apoiar estudantes do ensino superior com bolsas de estudo

A Câmara Municipal de Sines apoia os alunos do concelho que estudam no ensino superior através da atribuição de bolsas de estudo. De acordo com a lista provisória para atribuição das bolsas, aprovada ontem em reunião de Câmara, o apoio vai chegar no ano letivo 2019/2020 a, pelo menos, 75 alunos de Sines que frequentam licenciaturas.

Alcácer do Sal abre candidaturas para 20 bolsas a estudantes do superior

A Câmara Municipal de Alcácer do Sal vai atribuir 20 bolsas de estudo para estudantes do ensino superior no presente ano letivo.

Um novo ano, o mesmo problema

Esta semana saíram as colocações no Ensino Superior. Com o conhecimento da Universidade em que ingressaram, muitos estudantes enfrentam agora o desafio de encontrar um quarto ou uma casa na cidade em que ficaram colocados.

Com o elevado preço das rendas e as escassas condições oferecidas a escolha fica ainda mais difícil para estes estudantes e para os seus mais que, em grande parte dos casos, são os responsáveis pelo suporte destas despesas.

Em cidades como Lisboa, chegam-se a pedir 500 euros por um T0.

Meritocracia paga?

Esta semana o CDS apresentou uma proposta para o preenchimento das vagas que porventura restem após a realização do concurso de acesso ao ensino superior.

Segundo os centristas, a solução passaria por pagar o acesso ao ensino superior o que, resumindo, consiste em comprar uma vaga.

Aqui temos mais uma prova do elitismo centrista em que, apenas quem tenha dinheiro, poderá ter uma segunda oportunidade de acesso ao ensino superior.

Ensino Superior no Alentejo com mais alunos

Após a conclusão da a primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior público é possível concluir que a Universidade de Évora e o Politécnico de Portalegre tiveram mais estudantes colocados na 1ª Fase, em comparação com o ano passado. Em sentido inverso está o Politécnico de Beja.

Segundo dados do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, nesta primeira fase, a nível nacional, foram colocados 43 992 novos estudantes.

Páginas