Está aqui

Democracia

DOZE MESES DE DESAFIOS E OPORTUNIDADES

A grande maioria dos sinais que nos chegam, através dos meios de comunicação, levam a crer que 2017 possa vir a ser identificado como um ano disruptivo e incerto. Há cem anos o mundo caminhava para o fim das monarquias e dos impérios, mergulhado em guerras e conflitos. 1917 foi um ano de revoluções e incertezas.

Atualmente, um pouco por todo lado, o sentimento generalizado de injustiça económica, alimentado pela desilusão de uma vida melhor, encontra terreno fértil para o desenvolvimento de uma insatisfação difusa expressa por aversão, hostilidade, repúdio ou ódio aos imigrantes.

MOBILIDADE EUROPEIA, JOVENS E DEMOCRACIA

A juventude e os valores para a construção do sonho europeu de democracia, liberdade e mobilidade de pessoas e bens, devem ser entendidos como pilares fundamentais para a sustentação da Europa como um continente de desenvolvimento, defesa dos Direitos Humanos e da paz entre os povos.

Escrever sobre estes temas vem, entre muitos outros projectos, dos últimos 2 cursos de formação que a associação a que presido, Mundus Intercultural, desenvolveu nos últimos 30 dias.

CIMAC CELEBRA OS 40 ANOS DO PODER LOCAL DEMOCRÁTICO

No dia 17 de maio a CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, vai promover um conjunto de iniciativas no sentido de celebrar os 40 anos de poder local democrático.

A VEZ DO ZÉ POVINHO

Quem se informa sobre a vida das celebridades, dos políticos e dos homens e mulheres mais endinheirados apenas pelos tabloides ou pelo jornalismo empresarial tem a impressão de que riqueza e poder são características inatas. Este tipo de imprensa cumpre papel semelhante ao dos contos de fada, revestindo com auras de retidão e de virtude as personalidades de indivíduos pertencentes às classes mais altas.

O ACTO DE SECUNDARIZAÇÃO DA DEMOCRACIA

Na última quinta-feira tivemos a oportunidade de assistir em plena Assembleia da República, a casa da democracia portuguesa e órgão máximo da mesma, a uma pura demonstração de como uma nação cuja Constituição foi elaborada há 40 anos, sob a égide dos valores democráticos depois de tantos anos de autoritarismo, consegue rejeitar uma condenação apresentada pelo PS e BE relativa ao caso dos 17 ativistas presos em Angola por terem na sua posse um livro intitulado Da Ditadura para a Democracia, e acusados de coautoria de actos preparatórios para uma rebelião e associação criminosa.

EUA: ESTABILIDADE OU RADICALISMO?

Barack Obama está prestes a terminar o seu segundo mandato à frente da casa branca e sairá pela “porta grande”, com níveis elevados de popularidade. Sai com uma das suas maiores bandeiras aprovada e em fase de iniciação, o Obamacare. Ao contrário do encerramento da prisão militar de Guatanamo, que dificilmente será apoiado pelos Republicanos e da tentativa falhada de proibir a livre circulação de armas. Mesmo assim Obama terá uma enorme influência na escolha Democrata para as Eleições Presidenciais, que tudo indica apoiar desta vez, Hillary Clinton.

NÃO SABE ONDE VOTA?

Não precisa perder muito tempo às voltas à procura do local onde deve exercer o seu direito de voto.

Pode enviar um SMS para o número 3838 – a mensagem é gratuita – e deve escrever: RE (espaço) nº de identificação civil do Bilhete de Identidade ou do Cartão do Cidadão (espaço)data de nascimento (com o formato AAAAMMDD).

Exemplo: RE 12345678 19750602

Ou então clique aqui ou ligue para a linha do eleitor 808 206 206 (custo de chamada local).

 

A HISTÓRIA REPETE-SE

Na altura em que esta crónica se encontra a ser escrita, ainda estamos a poucas horas de saber os resultados eleitorais em Espanha.

As primeiras sondagens apontam para um impasse semelhante ao que sucedeu em Portugal. Isto é, nenhum dos principais partidos reúne condições para governar com maioria absoluta.

Não querendo antecipar desde já cenários de coligações entre esquerda/direita ou esquerda/esquerda, creio que há uma análise que deverá ser feita e que, também em Portugal, não o foi.

DICOTOMIAS DEMOCRÁTICAS

O mundo conheceu, neste fim-de-semana, dois resultados eleitorais, em dois países completamente diferentes, em dois continentes diferentes, com culturas democráticas bem diferentes.

Páginas