Está aqui

Covid-19

Criação do porco alentejano enfrenta crise com falta de procura

A procura pelo porco alentejano diminuiu e o preço baixou cerca de 35% devido à crise provocada pela pandemia de covid-19, avança a SIC Notícias.

Os 20 mil porcos da Associação de Criadores de Porco Alentejano seriam vendidos por cerca de 10 milhões de euros, no entanto, conseguiram vender, até ao momento, 65% da produção, mas a um preço mais baixo que o habitual.

Mértola cria projeto que leva compras a casa dos habitantes

A Câmara Municipal de Mértola criou o projeto “Frescos Sobre Rodas”, cofinanciado pelo Fundo Ambiental, que leva as compras a casa dos mertolenses em tempos de pandemia.

Em declarações à Rádio Pax, Jorge Rosa, presidente da autarquia, fala num “projeto muito interessante”, que inicialmente “começou por se destinar apenas a produtos da época”. A iniciativa “tem corrido muito bem” e, por isso, a autarquia decidiu alargar o projeto “a outro tipo de compras que as pessoas vão fazer no comércio local”.

Autarquias reúnem-se com Governo para auscultar necessidades no combate à covid-19

A ministra que tutela as autarquias, Alexandra Leitão, vai iniciar uma ronda de reuniões com as 21 Comunidades Intermunicipais (CIM) e as duas Áreas Metropolitanas (AM), começando com a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, para fazer um levantamento das necessidades das autarquias no combate à pandemia.

De acordo com a Lusa, estas reuniões decorrem por videoconferência até 18 de dezembro e pretendem fazer um balanço das medidas legislativas aprovadas “com o objetivo de apoiar as autarquias locais e de agilizar as respostas ao nível local”.

Comércio tradicional de Évora regista quebras de 50% nas vendas

O comércio tradicional de Évora está a registar quebras de 50% nas vendas e as expetativas para a época natalícia “são baixas”, devido às medidas restritivas para combater a pandemia de covid-19, avança a Lusa.

Beja canaliza verbas de iniciativas canceladas para apoiar instituições

A Câmara Municipal de Beja canalizou as verbas destinadas a iniciativas de Natal e passagem de ano canceladas, devido à pandemia de covid-19, para apoiar instituições e antecipar pagamentos a fornecedores e associações, avança a Lusa.

Paulo Arsénio, presidente da câmara, afirmou à agência Lusa que o município cancelou várias iniciativas que poderiam provocar ajuntamentos de pessoas, como atividades destinadas a crianças, o Mercadinho de Natal, a festa de passagem de ano e o respetivo fogo-de-artifício, e o bolo-rei gigante.

Medidas (de distanciamento) sem fitas

Como amplamente divulgado pelas autoridades, as medidas de distanciamento são das mais efetivas na redução da transmissão da COVID-19.  A recomendação da DGS indica que se deve manter uma distância de pelo menos 2 metros das outras pessoas, contudo, o que se vem observando, um pouco por todo o lado, é o desrespeito desta recomendação. Alguns, mesmo que queiram, não podem cumprir e são obrigados a permanecer, horas a fio, a menos de 2 metros de outros, como se verifica, por exemplo, nas salas de aula.

Diretores de escolas exaustos após 9 meses de pandemia de covid-19

Os diretores de escolas, assim como professores, sentem-se exaustos e ponderam abandonar o cargo que os obriga a estar alerta 24 horas por dia para garantir o funcionamento, em segurança, das escolas durante a pandemia de covid-19, avança a agência Lusa.

Em declarações à Lusa, o presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel Pereira, afirma que “os diretores estão muito cansados até porque, além do trabalho, existe uma enorme pressão para que corra tudo bem. É muito extenuante e vários colegas têm-me confessado o desejo de abandonar o cargo”.

A Casa do Alentejo pode fechar portas; os Verdes já entregaram uma resolução na AR

A icónica Casa do Alentejo, em Lisboa, pode ser mais uma vítima da Covid-19.

As fortes repercussões económicas e financeiras a que a pandemia, após a perda de 80% das receitas, pode levar ao encerramento deste espaço que é classificado como uma embaixada alentejana em Lisboa.

Situada na Baixa Pombalina num antigo palacete dos finais do século XVII, edificado entre dois troços da muralha Fernandina, era pertença dos Viscondes de Alverca, foi ocupado pelo Grémio Alentejano, em 1932, já depois da fundação da Associação Regionalista Casa do Alentejo, em 1923.

OCDE revela: Alentejo é a região portuguesa com menos capacidade de teletrabalho

Um estudo, realizado por economistas da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), refere que em Portugal cerca de um terço dos postos de trabalho são compatíveis com o teletrabalho, colocando-nos à frente dos Estados Unidos e da Itália. A nível interno, o Alentejo é a região nacional com menos capacidade nesta área.

Portalegre e Beja entre os distritos onde uma casa mais demora para se vender

Os vários distritos nacionais reagiram de modo diferente no que toca à reação do mercado imobiliário à pandemia de Covid-19.

Uma análise do site da especialidade idealista.pt revela que é nos distritos alentejanos de Portalegre e Beja que uma casa mais demora a vender-se.

Em média, nestes dois distritos, o tempo que vai desde que uma casa é colocada à venda até à venda é de cerca de nove meses em Portalegre e oito em Beja, bem como em Viana do Castelo e Vila Real. A média nacional ronda os cinco meses.

Páginas