Está aqui

Cortiça

Paisagem de montado em Portugal perde 5 mil hectares por ano

Portugal, e sobretudo o Alentejo, tem a maior área de montado de sobro e de azinho do mundo, fazendo um total de cerca de um milhão e duzentos mil hectares, ou seja, mais de 20% de toda a floresta nacional. No entanto, os números mostram que desde 1990 que Portugal perde, em média, cinco mil hectares desta área por ano.

Corticeira Amorim toca os 20 milhões de lucro no primeiro trimestre

A Corticeira Amorim aumentou lucros para 19,9 milhões no primeiro trimestre, conforme indicação daquela empresa enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Ali a Corticeira Amorim indica que a sua atividade se mostrou imune à pandemia de covid-19 até março, mas estima quebras para os meses de abril, maio e junho.

A Corticeira Amorim fechou o primeiro trimestre de 2020 com lucros de 19,9 milhões de euros, o que representa um aumento de 6,8%, em comparação com igual período do ano passado. As vendas neste período subiram 0,7%, para 203,7 milhões.

Évora lidera projeto de rega de precisão de sobreiros para produção intensiva de cortiça

Liderado pela equipa de investigação Pró-FlorMed da Universidade de Évora e do MED (Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento), o REGACORK, grupo operacional envolvido no projeto de investigação em rega de precisão de sobreiros, foi apresentado recentemente a uma audiência de 200 participantes com interesse na fileira da cortiça. 

Corticeira Amorim vale 1500 milhões de euros na bolsa

A Corticeira Amorim é a maior empresa de transformação de cortiça no mundo, com vendas consolidadas superiores a 760 milhões de euros e presença em mais de 100 países – afirmou António Rios Amorim.

A intervenção foi feita no evento comemorativo dos 150 anos da primeira fábrica do grupo, onde António Amorim referiu que a empresa exporta 93% da sua produção, tendo a maior rede de distribuição do mundo, com um total de 51 empresas, como avança hoje  Vida Económica.

Rolha de enroscar da Corticeira Amorim pretende combater plástico e alumínio

A Corticeira Amorim considera que rolha de cortiça vai ganhar quota ao plástico e ao alumínio. Esse será um dos eixos de crescimento do negócio, que faz 150 anos em 2020. Outro eixo será o das aquisições, “táticas, não big bangs”, revela o CEO, António Rios Amorim.

No ano em que se celebram os 150 anos do Grupo Amorim, o Jornal de Negócios destaca a história daquela que é líder mundial da cortiça.

Preço da cortiça em queda

Após um aumento de cerca de 30% no preço da cortiça nos últimos dois anos, a matéria-prima está neste momento a ficar mais barata, o que para o setor é um resultado atípico.

Corticeira Amorim vai desenvolver interiores do primeiro comboio português

A CP juntou a Faculdade de Engenharia do Porto, o Instituto Superior Técnico e empresas como a Corticeira Amorim, a Efacec ou a Siemens para criar o primeiro comboio português. A notícia, que está a ser avançada pelo Público, refere que o primeiro comboio português vai ter o motor desenvolvido pela Efacec, a caixa pela Salvador Caetano, os moldes, cablagens e portas pela Associação de Fabricantes Indústria Automóvel, os interiores pela Almadesign e a Amorim e o grupo Sermec, especialista em metalomecânica de precisão e que trabalha com a Airbus.

Amorim quer acabar com a “lei da rolha” na cortiça

A Corticeira Amorim produz mais de 25 milhões de rolhas, mas o seu CEO acredita que o futuro passará cada vez mais por outras aplicações. Segundo o Dinheiro Vivo, numa peça assinada por pela jornalista Ana Sanlez, em 2020 haverá cinco instalações em Nova Iorque patrocinadas pela líder mundial do setor.

Corticeira Amorim investe mais 5 milhões de euros em aquisições internacionais

A Corticeira Amorim acaba de comprar por 5 milhões de euros mais 10% da francesa Bourrassé.

Após o fecho de contas do primeiro semestre deste ano, a Corticeira Amorim adquiriu, por 11 milhões de euros, 50% da checa Vinolok, e aplicou mais cinco milhões no reforço da sua participação na francesa Bourrassé para 70% do capital da empresa.

Ponte de Sor ganha novo investimento de 2 milhões e 20 postos de trabalho

O grupo francês Socori vai investir dois milhões de euros numa nova fábrica em Ponte de Sor e criar 20 postos de trabalho. A nova fábrica, que irá ocupar uma área de 5 hectares no parque industrial da cidade, servirá para aprovisionamento da cortiça, com que a Socori pretende abastacer a casa-mãe em Feança.

A revelação foi feita por Hugo Hilário, presidente daquele município alentejano, que lembra que o sector corticeiro já é o maior empregador da região e que a indústria da transformação da cortiça tem vindo a deslocalizar os seus setores de aprovisionamento para o sul do país.

Páginas