Está aqui

Canábis para fins medicinais

Canábis cultivada em Odemira exportada pela primeira vez para os EUA

A multinacional Clever Leaves, com sede nos Estados Unidos, anunciou a exportação do primeiro lote comercial de flor seca de canábis produzida em São Teotónio, no concelho de Odemira, para o mercado dos EUA.

Segundo o Jornal de Negócios, a empresa indica em comunicado que o lote de 30 quilos se destina à Biopharmaceutical Research Company (BRC).

Note-se que a Clever Leaves se instalou em Portugal em 2019 e, em agosto do ano passado, recebeu uma licença que permite o cultivo, importação e exportação de flor seca de canábis medicinal por parte do Infarmed.

Maior venda de canábis medicinal da UE sai de Aljustrel

A RPK Biopharma anunciou a primeira venda de canábis medicinal a granel produzido na sua exploração no concelho de Aljustrel, em Beja, naquela que será “a maior transação” do género “conhecida na União Europeia até à data”.

Em comunicado, citado pela agência Lusa, a empresa canadiana Flowr Corporation, proprietária da RPK Biopharma, revelou que o acordo de fornecimento “de biomassa de canábis medicinal com alto teor de THC” [tetra-hidrocanabinol, composto derivado destas plantas] foi celebrado com a Galaxiavertical (Galaxia), pelo montante “de aproximadamente 500 mil euros”.

Castelo de Vide recebe plantação de canábis para fins medicinais em maio

Uma plantação de canábis para fins medicinais vai ser instalada numa propriedade com oito hectares em Castelo de Vide, num investimento de um milhão de euros, a partir de maio, avança a Lusa.

António Pita, presidente da Câmara de Castelo de Vide, explicou que a propriedade fica situada na freguesia rural de Póvoa e Meadas, sendo o projeto desenvolvido pela empresa multinacional Bio Leaf Health, Lda.