Está aqui

Associação de Defesa do Património de Mértola

ACCOR já plantou mais de 20 mil árvores no Alentejo e no Algarve

O Alentejo e o Algarve são das regiões de Portugal mais afetadas pelas alterações climáticas, com consequências como precipitação irregular, verões secos, desertificação e perda de biodiversidade. De forma a promover a recuperação de ecossistemas locais deteriorados, o Grupo Accor tem vindo a apoiar projetos de agro-florestação em Portugal desde 2015, com especial incidência no Montado, através do programa Plant for the Planet, apoiado internacionalmente pelo PUR Project.

Associação do Baixo Alentejo termina projeto em Cabo Verde com sucesso

A Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM) viu o Projeto Raízes – Redes Locais para o Turismo Sustentável e Inclusivo em Santo Antão (Cabo Verde) terminar no passado mês de novembro com grande sucesso.

Em declarações à Planície, Jorge Revez, presidente da direção da ADPM, referiu que “o projeto teve um impacto bastante positivo na Ilha de Santo Antão, e de alguma forma em Cabo Verde, visto que tem algumas atividades que influenciaram em termos de política pública o turismo do país”.

Mértola dá a conhecer o lince ibérico através de novo centro interpretativo

O Centro de Interpretação e Observação do Lince-ibérico, em São João dos Caldeireiros, perto de Mértola, é a mais recente iniciativa que permite descobrir, conhecer melhor e ajudar a preservar a espécie que tem vindo a ser salva do perigo de extinção em Portugal.

A Arte de Viver com um Negócio Criativo no Baixo Alentejo

O Alentejo tem negócios criativos? Quantos? E onde?

É o que está a tentar perceber a Associação de Defesa do Património de Mértola e que promove, entre setembro e novembro, nas localidades de Beja, Mértola e Serpa, o workshop “A Arte de Viver com um Negócio Criativo”, com o objetivo de identificar, mapear e estimular o empreendedorismo criativo no Alentejo.

Mértola oferece 5 000 plantas para arborizar região

A Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM), está a convidar agricultores da região do Alentejo a instalarem árvores e plantas nas suas propriedades, tendo já destinadas para o efeito 5 mil árvores e plantas, para 2018 e 2019.

O projeto, que dá pelo nome “Agricultura para o Futuro – Programa ACCOR para Portugal”, é financiado pela cadeia de Hotéis Accor e continua a promover a instalação de árvores e plantas junto de agricultores da região do Alentejo, incentivando a adoção de sistemas agroflorestais de elevado valor.

ONG DE MÉRTOLA JÁ CONSTRUIU SALAS DE AULA, MATERNIDADES E POÇOS EM MOÇAMBIQUE

A inauguração de um depósito de abastecimento de água na Vila de Monapo, em Moçambique que ocorreu a 1 de fevereiro talvez não seja notícia cá. Mesmo que leve água potável a mais de 20 mil pessoas ou que tenha sido inaugurada pela Embaixadora de Portugal em Moçambique, Maria Amélia Paiva. Assim como a inauguração de 3 salas de aula que beneficiarão cerca de 600 estudantes moçambicanos.

MÉRTOLA ESTÁ A CONVOCAR TODOS OS CRIATIVOS DO ALENTEJO

A produção e troca de bens, serviços e cultura está fortemente influenciada pelos criativos em todo o mundo. Esta realidade não deixou indiferente a Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM) que desenhou um projeto em parceria com o Instituto Politécnico de Beja, a Associação Nacional de Jovens Empresários, a CULTBÉRIA e o Município de Serpa, com a intenção de impulsionar as Indústrias Culturais e Criativas da região e está a mobilizar para o efeito dos os criativos do Alentejo.

ALENTEJO: PRODUTOS AGROALIMENTARES INTERNACIONALIZADOS

A Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM) aderiu, no passado dia 23 de novembro, à Rede PortugalFoods de modo a promover os produtos alentejanos, essencialmente através da participação em diversos eventos de internacionalização em mercados prioritários.

4 MIL ÁRVORES PARA O BAIXO ALENTEJO

O Grupo AccorHotel, um dos maiores operadores hoteleiros mundiais, prepara-se para plantar 4 000 árvores e apoiar os agricultores em Mértola. A iniciativa visa promover a biodiversidade e lutar contra a erosão dos solos, num projecto pioneiro de agro-florestação em Portugal, para o desenvolvimento de um modelo agrícola sustentável.