Está aqui

Aeronáutica

Aeronáutica deseja continuar a crescer em Portugal

A aeronáutica deseja continuar a crescer em Portugal e a AED - Associação Nacional de Aeronáutica, Espaço e Defesa quer mesmo atingir 3% do PIB em cinco anos e a estratégia passa por duplicar o volume de negócios, crescendo cerca de 760% nas exportações.

Este “cluster” português é constituído por cerca de 60 empresas -no Alentejo com vários polos como Évora, Ponte de Sor, Beja e, em breve, Grândola -  e que representa já 1,2% do PIB, empregando 18.500 pessoas.

Évora: sai EMBRAER entra BOEING?

O jornal espanhol “El Confidencial” avança que a gigante norte-americana Boeing pode estar prestes a dar o “abraço do urso” à gigante brasileira Embraer e ficar com as duas fábricas de Évora – além da OGMA, em Lisboa, e do polo aeronáutico da companhia brasileira em Casablanca, Marrocos.

O jornal espanhol dá mesmo a operação de compra da vertente comercial da Embraer, pela Boeing, como realizado.

Évora e Setúbal unidas pela aeronáutica

Será a primeira pós-graduação em associação na área da aeronáutica e surge da união entre a Universidade de Évora e o Instituto Politécnico de Setúbal e que se deseja seja já uma realidade no próximo ano letivo, em setembro.

A intenção não é a de providenciar qualquer grau académico, mas a de providenciar uma formação pós-graduada que siga as orientações mais gerais dos cursos de 2º e 3º ciclos e que permita a creditação para posterior integração em níveis de formação avançada.

O ALENTEJO DOMINA NOS CÉUS

Nos três distritos alentejano existem já empresas e visões direcionadas para a industria aeronáutica e, nas três, têm sido dados passos importantes para a consolidação deste cluster aeronáutico no Alentejo.

Esta semana, e a propósito do “Open Day- I Can Fly”, promovido pelo Instituto Politécnico de Beja, o Secretário de Estado dos Transportes e Infra-estruturas - Guilherme de Oliveira Martins – revelou que, na sua opinião, o Aeroporto de Beja tem-se adaptado e procurado o seu espaço e que isso tem implicações muito positivas no sector aeronáutico português.

MAIS UMA EMPRESA NO AEROPORTO DE BEJA

Pouco a pouco, o aeroporto de Beja vai crescendo no número de empresas que nele se vão instalando. Agora foi a vez da MESA, o uma empresa de engenharia e manutenção MESA, do grupo da companhia aérea HiFly.

O acordo entre a empresa e a ANA-Aeroportos de Portugal foi assinado esta semana, sendo que em abril do próximo ano começará a construção do hangar da MESA no aeroporto de Beja, estando terminado antes de 2019. A MESA, através de Paulo Mirpuri, presidente do Conselho de Administração da MESA e da HiFly, considera mesmo que o aeroporto de Beja tem uma localização privilegiada.

ACORDO ENTRE TITÃS DA AERONÁUTICA PODE AFETAR O ALENTEJO

O anúncio recente de um acordo entre os gigantes da aeronáutica Airbus e a canadiana Bombardier pode afetar o Alentejo e Portugal, onde a concorrente brasileira Embraer tem feito um forte investimento, sobretudo no cluster aeronáutico de Évora.

O receio tornou-se evidente no decorrer dos AED Days, um evento anual sobre a aeronáutica, espaço e defesa nacionais.

O acordo entre a Airbus e a Bombardier visa essencialmente o programa de construção de aviões CSeries da Bombardier, sendo esta aeronave uma das principais concorrentes da E-2 da Embraer, líder de mercado.

ALENTEJO DESTACA-SE NOS GRANDES INVESTIMENTOS

O ministro da Economia, Caldeira Cabral, esteve no Alentejo, em Évora onde inaugurou a fábrica da Mecachrome, um investimento de 30 milhões de euros.

AERONÁUTICA: ÉVORA SOMA E SEGUE

Criado em 2009, o Parque de Indústria Aeronáutica de Évora continua a crescer e foi assinado a 31 de agosto – entre a autarquia e a empresa luso-brasileira Compendionauta - o contrato de compra e venda de um lote de terreno no Parque de Indústria Aeronáutica para a instalação de uma unidade industrial.

Évora vai assim receber mais uma fábrica de componentes aeronáuticos por via da empresa luso-brasileira, especialista na maquinação de componentes de titânio, para a aeronáutica.

MAIS DE 10 MIL A OLHAR PARA O CÉU

Em Ponte de Sor, de 24 a 27 de maio, são esperadas mais de 10 mil pessoas para assistir e participar na “Portugal Air Summit”, a maior cimeira aeronáutica do mundo.

Organizado pela Câmara Municipal de Ponte de Sor e pela TheraCE, entre conferências, exposições, workshops, este evento será a montra do melhor da tecnologia atual nesta área e existe um interesse especial na componente da aviação não tripulada civil e militar; acontecerão dezenas de demonstrações e estarão em Portugal grandes figuras e empresas da aeronáutica.

ALENTEJO RECEBE ESTE MÊS CIMEIRA MUNDIAL DA AERONÁUTICA

O Portugal Air Summit vai reunir durante os 4 dias de conferência as personalidades e as empresas mais relevantes da indústria, infraestruturas e serviços, dos sectores da aeronáutica e da aviação em Portugal. O evento decorre entre 24 e 27 de maio em Ponte de Sor, no Alto Alentejo. Naves não tripuladas, os desafios do futuro da aeronáutica na Europa, a relação entre a investigação e a indústria, a posição geoestratégia de Portugal vão ser alguns dos temas em debate.

Páginas