Está aqui

Aeronáutica

MAIS UMA EMPRESA NO AEROPORTO DE BEJA

Pouco a pouco, o aeroporto de Beja vai crescendo no número de empresas que nele se vão instalando. Agora foi a vez da MESA, o uma empresa de engenharia e manutenção MESA, do grupo da companhia aérea HiFly.

O acordo entre a empresa e a ANA-Aeroportos de Portugal foi assinado esta semana, sendo que em abril do próximo ano começará a construção do hangar da MESA no aeroporto de Beja, estando terminado antes de 2019. A MESA, através de Paulo Mirpuri, presidente do Conselho de Administração da MESA e da HiFly, considera mesmo que o aeroporto de Beja tem uma localização privilegiada.

ACORDO ENTRE TITÃS DA AERONÁUTICA PODE AFETAR O ALENTEJO

O anúncio recente de um acordo entre os gigantes da aeronáutica Airbus e a canadiana Bombardier pode afetar o Alentejo e Portugal, onde a concorrente brasileira Embraer tem feito um forte investimento, sobretudo no cluster aeronáutico de Évora.

O receio tornou-se evidente no decorrer dos AED Days, um evento anual sobre a aeronáutica, espaço e defesa nacionais.

O acordo entre a Airbus e a Bombardier visa essencialmente o programa de construção de aviões CSeries da Bombardier, sendo esta aeronave uma das principais concorrentes da E-2 da Embraer, líder de mercado.

ALENTEJO DESTACA-SE NOS GRANDES INVESTIMENTOS

O ministro da Economia, Caldeira Cabral, esteve no Alentejo, em Évora onde inaugurou a fábrica da Mecachrome, um investimento de 30 milhões de euros.

AERONÁUTICA: ÉVORA SOMA E SEGUE

Criado em 2009, o Parque de Indústria Aeronáutica de Évora continua a crescer e foi assinado a 31 de agosto – entre a autarquia e a empresa luso-brasileira Compendionauta - o contrato de compra e venda de um lote de terreno no Parque de Indústria Aeronáutica para a instalação de uma unidade industrial.

Évora vai assim receber mais uma fábrica de componentes aeronáuticos por via da empresa luso-brasileira, especialista na maquinação de componentes de titânio, para a aeronáutica.

MAIS DE 10 MIL A OLHAR PARA O CÉU

Em Ponte de Sor, de 24 a 27 de maio, são esperadas mais de 10 mil pessoas para assistir e participar na “Portugal Air Summit”, a maior cimeira aeronáutica do mundo.

Organizado pela Câmara Municipal de Ponte de Sor e pela TheraCE, entre conferências, exposições, workshops, este evento será a montra do melhor da tecnologia atual nesta área e existe um interesse especial na componente da aviação não tripulada civil e militar; acontecerão dezenas de demonstrações e estarão em Portugal grandes figuras e empresas da aeronáutica.

ALENTEJO RECEBE ESTE MÊS CIMEIRA MUNDIAL DA AERONÁUTICA

O Portugal Air Summit vai reunir durante os 4 dias de conferência as personalidades e as empresas mais relevantes da indústria, infraestruturas e serviços, dos sectores da aeronáutica e da aviação em Portugal. O evento decorre entre 24 e 27 de maio em Ponte de Sor, no Alto Alentejo. Naves não tripuladas, os desafios do futuro da aeronáutica na Europa, a relação entre a investigação e a indústria, a posição geoestratégia de Portugal vão ser alguns dos temas em debate.

ALENTEJO RECEBE CIMEIRA MUNDIAL DA AERONÁUTICA

O Alentejo tem-se afirmado em várias dimensões. Mais do que apenas paisagens, vinhos ou gastronomia, a região tem desenvolvido a sua componente industrial e tecnológica, muito motivada pela instalação do gigante EMBRAER em Évora e da constituição do cluster aeronáutico, bem como a rede de incubadores que está a operar cobrindo praticamente a totalidade do território. Acresce um aeroporto praticamente novo em Beja e um núcleo industrial aeronáutico inaugurado ontem, com a presença do Primeiro Ministro, António Costa, em Ponte de Sor (Portalegre).

ALENTEJO CADA VEZ MAIS DOMINADOR DOS CÉUS

Esta semana, em Beja, foi assinado o “Protocolo de Colaboração do Setor Aeronáutico do Alentejo”, um documento que pretende afirmar o Alentejo ao nível nacional e internacional no que à aeronáutica diz respeito.

AERONÁUTICA ALENTEJANA CONTINUA A CRESCER

O Parque de Indústria Aeronáutica de Évora – criado em 2009 - vai receber mais uma fábrica de componentes aeronáuticos, a Compendionauta.

A empresa luso-brasileira - especialista na maquinação de componentes de titânio, para a aeronáutica, com tratamento superficial simples - vai investir perto de 10 milhões de euros, projetando, até 2020, e criará 50 postos de trabalho.

Imagem de img.interempresas.net

ALENTEJO VAI PRODUZIR MÁSCARAS DE OXIGÉNIO PARA AVIÕES SUPERSÓNICOS

A informação foi adiantada pela autarquia e refere que está já decidida a instalação de uma fábrica de máscaras de oxigénio para aviões supersónicos em Ponte de Sor.
 
A empresa, que é francesa, pretende iniciar a operação de instalação em abril do ano que vem e vai criar cerca de 35 postos de trabalho, que se juntam aos cerca de 200 que o aérodromo de Ponte de Sor já criou com uma empresa de componentes para aviões, com uma empresa de manutenção de ultraleves, uma empresa de produção de drones e uma escola internacional de pilotos de aviação.
 

Páginas