Está aqui

25 de Abril de 1974

7 DE JANEIRO DE 2017

"Quando chego a uma sala destas, cheia de gente jovem, numa situação em que o país está de cócoras, em que tudo foi destruído, em que não há nada (…) e em que tanta gente, por medo ou por qualquer outra razão, não é capaz de lutar, estar aqui e ver-vos a vocês todos aqui aos berros pela liberdade e pela democracia, para mim é o melhor que me poderiam ter feito"

Mário Soares, 06 de Dezembro de 2014

 

41 ANOS DEPOIS

A revolução aconteceu 48 anos depois do início da ditadura do Estado Novo, a mais longa da Europa, vigente desde 1933, hoje, 41 anos depois da Revolução de 25 de Abril de 1974, a revolução dos cravos, poucos meses depois da saída da Troika de Portugal, Portugal relembra a revolução de muitas maneiras.

Em 1974, o Movimento das Forças Armadas (MFA), grandemente composto por capitães que tinham tido participação na Guerra Colonial e apoiados por muitos outros soldados milicianos, começaram a planear a revolução uns anos antes.

A primeira reunião de capitães terá sido em África, em Bissau na Guiné, e a segunda no Monte do Sobral, nas Alcáçovas, distrito de Évora, a 9 de novembro de 1973, após se terem encontrado no Templo Romano em Évora. A última e definitiva reunião antes da revolução ocorreu a 24 de março de 1974.