Está aqui

Água

Reguengos de Monsaraz: água residual reutilizada para rega de espaços verdes e serviços

Há um projeto de economia circular que o Município de Reguengos de Monsaraz quer ver aplicado à prática e que será a reutilização de água residual tratada para rega e águas de serviço.

O investimento é de cerca de 331 mil euros e tem por base o crescimento das instalações da Maporal – Matadouro de Porco de Raça Alentejana, da qual se estima possa surgir um volume diário de água residual tratada e rejeitada no meio hídrico de 700m3.

Portalegre: 6,3 M€ para criar empresa para gestão da água

Alter do Chão, Crato, Gavião, Nisa, Ponte de Sor e Sousel, Arronches, Castelo de Vide, Fronteira e Marvão: foram 10 dos 15 municípios do distrito de Portalegre os que criaram uma empresa municipal de gestão da água em baixa, num investimento total de superior a 6, 3 milhões de euros, no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR).

Com o nome “Águas do Alto Alentejo – Empresa Inter Municipal, SA”, esta empresa é constituída com a forma de sociedade anónima e com capitais exclusivamente públicos.

Água na aldeia de São Manços em Évora é “barrenta” e “cheira mal”

A população de São Manços, no concelho de Évora, queixa-se da falta de qualidade da água da rede pública, por estar “barrenta”. No entanto, a câmara municipal promete solucionar o problema com uma intervenção faseada.

Alqueva: CDS questiona gestão e compatibilização da água

A deputada do CDS-PP Cecília Meireles questionou a ministra da Agricultura de modo a que lhe fosse dado a conhecer em que ponto está a aplicação das recomendações feitas na Resolução da Assembleia da República n.º 15/2019, de 5 de fevereiro.

Esta resolução recomenda a realização de um estudo sobre a melhor forma de gestão e compatibilização dos diversos usos da água na região de Alqueva e em que o CDS quis antecipar cenários de conflito em caso de escassez de água, o que se antevê cada vez mais frequente num quadro de alterações climáticas evidentes.

Covid-19: Crato e Almodôvar suspendem pagamento de água

As autarquias alentejanas de Crato e Almodôvar isentaram os seus munícipes do pagamento de água nos próximos meses, uma medida que já foi declarada noutros municípios alentejanos.

Em Moura as famílias só vão pagar a água em Maio

A Câmara Municipal de Moura acaba de adiar o prazo de pagamento da fatura da água.

Em comunicado aquele município alentejano adianta que "tendo em conta a atual conjuntura e de acordo com as medidas de prevenção do novo Coronavírus (COVID-19) em vigor, o prazo para pagamento da fatura do consumo de água, referente ao mês de março, foi alargado pelo período de 1(um) mês, passando a fixar-se como data limite o dia 8 de maio de 2020.

Água de Viana do Alentejo recebe selo de qualidade

No passado dezembro, durante a 14ª Expo Conferência da Água, em Lisboa, o Município de Viana do Alentejo foi galardoado com o “Selo de Qualidade Exemplar de Água para Consumo Humano”.

Este galardão é atribuído pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos – ERSAR, e visa evidenciar as entidades prestadoras de serviços de abastecimento público de água que tenham assegurado uma qualidade exemplar de água para consumo humano, tendo o município alentejano sido destacado por assegurar o cumprimento dos critérios estipulados no regulamento.

 

Criada empresa intermunicipal para gerir águas no norte alentejano

Foi criada pelos municípios de Alter do Chão, Arronches, Castelo de Vide, Crato, Fronteira, Gavião, Marvão, Nisa, Ponte de Sor, e Sousel a Empresa Intermunicipal de Águas do Alto Alentejo.

Esta empresa - com capitais 100% municipais - será a responsável pela gestão da distribuição de Águas de Abastecimento Público e recolha de efluentes.

Resta menos de 10% da água na barragem Monte da Rocha, em Ourique

A Barragem do Monte da Rocha em Ourique está a levantar uma grande preocupação entre autarcas e sobretudo agricultores já que esta é de utilização predominantemente agrícola, por se encontrar com reservas de água de apenas 9,8%.

Alentejo com 10 concelhos em seca extrema força auxílio do Governo

Um inverno e uma primavera pouco chuvosas provocaram que 10 concelhos alentejanos seca extrema ou severa.

Entre o Alto e centro Alentejo, Setúbal e Lisboa, são mais 51 os que se encontram em seca severa.

A situação preocupa o Governo e, a partir da próxima semana, estarão disponíveis apoios superiores a três milhões de euros para auxílio aos agricultores em dificuldades.

Páginas