Está aqui

Fotografia

Mora abre hoje a maior feira de pesca do país

Trata-se do maior certame de pesca de todo o país. Falamos da Mora Pesca, a maior feira de artigos de pesca realizada em Portugal. Esta feira de especialidade tem crescido anualmente e conta este ano com mais de 40 expositores que apresentam as mais recentes tecnologias da pesca desportiva.

Segundo a autarquia são esperados mas de 25 mil visitantes no evento que decorre no Parque de Feiras e Exposições de Mora, entre hoje, 2 de março e o dia 4 de março.

INDÚSTRIA CORTICEIRA FOI TRAZIDA PARA O ALENTEJO POR CATALÃES DO SEC. XIX

Há uma exposição fotográfica que conta uma história não muito conhecida do Alentejo. A do papel dos catalães migrantes do século XIX e que, com o conhecimento que trouxeram então acerca da Indústria Corticeira, transformaram uma pequena vila alentejana num importante centro industrial com características muito próprias, a Azaruja.

AVES DE RAPINA NOCTURNAS EM ÉVORA

Já esteve em destaque no World Owl Conference 2017 e agora vai para Évora. Falamos da exposição “As aves de rapina nocturnas em Portugal”, da autoria dos fotógrafos Artur Vaz Oliveira, Pedro Marques e Pierre Lemos que vai estar aberta ao público entre 20 de janeiro e 14 de fevereiro no Palácio de D. Manuel, Jardim Público de Évora (2ª a 6ª 9h00-12h00 e 13h00-17h00, Sábados 13h00-17h00).

UM DOS MAIS EXTRAORDINÁRIOS ESPECTÁCULOS DA NATUREZA ACONTECE EM CASTRO VERDE

Alguém escreveu que os bandos de grous em voo para o seu dormitório são um dos espectáculos mais extraordinários que é possível observar no Alentejo durante o Inverno.

HÁ CATALUNHA NO ALENTEJO

Foi inaugurada no sábado, no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, a exposição de fotografia “Ascendência Catalã - Contributo positivo de uma migração”.

A exposição da fotógrafa e videasta Maria do Carmo Duque aborda a imigração e a presença social e económica Catalã, no Alentejo, essencialmente na vila de Azaruja, onde os migrantes se instalaram, em meados do século XIX, trazendo conhecimento da indústria corticeira e que transformou a região de Azaruja numa zona agro – industrial, com uma dinâmica socioeconómica muito própria.

NISA TEM NOVO PERCURSO DE 8,5 KM NA MINA DE OURO DO CONHAL

Nisa, no Alto Alentejo, já conta com mais de 100 quilómetros de percursos pedestres e trilhos, que a colocam como um destino de referência no turismo de natureza. Amanhã, 16 de dezembro, inaugura mais um circuito de 8,5 km com início no Arneiro junto ao Centro Interpretativo do Conhal, em direção à “serrinha”- miradouro natural, de onde se pode contemplar uma paisagem ímpar: com o Tejo atravessando as Portas de Rodão, a Ilha das Virtudes, Ilha do Cabecinho e a Foz da Ribeira do Vale.

ESPECIALIDADES DOCEIRAS ALENTEJANAS REUNIDAS EM LIVRO

A colecção de livros A Doçaria Portuguesa é a mais abrangente recolha de doces nacionais que hoje se produzem.

ALENTEJO CENTRAL COM CONCURSO DE FOTOGRAFIA PARA CRIANÇAS

A separação de resíduos e a reciclagem dão o mote para um concurso de fotografia destinado a crianças e que decorre até 31 de dezembro em Viana do Alentejo, Alvito, Cuba, Portel e Vidigueira. A iniciativa é promovida pela Associação de Municípios do Alentejo Central (AMCAL), e podem concorrer crianças entre os 6 e os 9 anos (1º escalão) e entre os 10 e os 12 anos (2º escalão), residentes nos concelhos da área da AMCAL.

VILA VIÇOSA: COMO APRENDIAM OS PRÍNCIPES?

O Museu-Biblioteca da Casa de Bragança, no Paço Ducal de Vila Viçosa tem patente ao público uma exposição designada “A Educação dos Príncipes”, que aborda a componente pedagógica da Casa Real, no decorrer do século XIX. A exposição conjuga um conjunto de imagens e objectos pertencentes às coleções do Museu-Biblioteca da Casa de Bragança e que abordam a temática da aprendizagem dos Infantes, a nível das artes e das letras.

"A Educação dos Príncipes" foi inaugurada a 3 de novembro pelo Presidente da República e está patente até setembro de 2018.

LABORATÓRIO HERCULES EXPLORA MURAIS DE ALMADA NEGREIROS

O Laboratório HERCULES, da Universidade de Évora, encerrou este mês a primeira fase de "uma campanha analítica que visa caracterizar a técnica pictórica e os materiais empregues por Almada Negreiros nos murais pintados entre 1939 e 1940 na antiga sala de receção e atrium de entrada do edifício Diário de Noticias em Lisboa e prepara-se agora para realizar análises mais aprofundadas em laboratório, de camadas cromáticas que foram recolhidas no local.

Páginas