Está aqui

Ambiente

BOMBEIROS DE MORA PEDEM ÁGUA

Os Bombeiros Voluntários de Mora (Évora) lançaram um apelo a população para angariar garrafas de água de 25 ou 33 cl como donativo. A campanha de apelo tem o nome de "Garrafa Solidária", decorre até ao fim do Verão e as garrafas podem ser entregues diretamente no quartel da própria corporação.

Os Bombeiros Voluntários de Mora existem há 76 anos e têm um corpo operacional de 41 elementos e 24 recrutas.

Imagem de capa daqui.

ALENTEJO CENTRAL ESTÁ A DIVULGAR APOIOS A PEQUENOS AGRICULTORES

Os municípios de Viana do Alentejo e de Portel (Évora) integram um conjunto de entidades que estão a organizar sessões de Divulgação e Esclarecimento sobre o programa de apoios a pequenos investimentos na exploração agrícola e pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas,  GAL TERRAS DENTRO 2020, que abriu a suas candidaturas a 22 de julho e encerra a 16 de setembro.

Este programa – financiado por Fundos Comunitários da União Europeia - insere-se nos apoios ao Desenvolvimento Local de Base Comunitária.

ÁGUAS DO ALENTEJO ABRE A TORNEIRA DOS MILHÕES

É objetivo da Águas Públicas do Alentejo (AgdA) – junta a Águas de Portugal, em representação do Estado e a Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública – investir, até 2020, cerca de 61 milhões de euros em projetos espalhados pelo Alentejo, tendo, para o efeito, apresentado seis candidaturas ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no uso de Recursos (POSEUR).

ABUTRE PRETO VOLTA AO ALENTEJO 40 ANOS DEPOIS

É a segunda vez nos últimos dois anos que é sinalizado o nascimento de uma cria abutre-preto no Alentejo, na Herdade da Contenda, em Moura e merece destaque porque esta ave já havia desistido de se reproduzir no Alentejo há mais de quarenta anos. A ave tem merecido o apoio do projecto LIFE “Habitat Lince Abutre”.

O Abutre-preto está ameaçado de extinção em Portugal e a principal ameaça que enfrenta é a do envenenamento deliberado, sendo que estão sinalizadas menos de uma centena em Portugal.

AFINAL NÃO VAI HAVER PETRÓLEO ALENTEJANO

A Galp e a italiana ENI desistiram da prospeção de petróleo no Alentejo e o furo previsto para prospeção de petróleo no mar, ao largo de Sines (Beja), já não vai acontecer.

Esta novidade foi revelada hoje, sexta 29, durante a apresentação de resultados da Galp e vem no sentido oposto do revelado em março passado, pelo administrador da Galp Thore Kristiansen, em Londres, aquando da divulgação do plano estratégico da Galp para 2016-2020.

AVENTUR4 - A ICÓNICA "PROVA" ALENTEJANA

“II CACHONDEO EN BARRÂNCU, EM R4”

“AventuR4 em redor de Barrancos”

Praça da Liberdade (Barrancos, 16 de Julho, 11:00) – eis as coordenadas do ponto de encontro para as R4 que ousaram enfrentar km, curvas e 40 oC e comparecer ao “II Cachondeo en Barrâncu, em R4”, mais uma etapa da temporada de 2016 dos “Eat-inerários Slow” pelo Alentejo, numa parceria com o Slow Food Alentejo.

ELVAS QUER BARCOS NA BARRAGEM DO CAIA

O município de Elvas, aliado aos municípios de Arronches e Campo Maior, está a negociar com o Ministério do Ambiente a alteração da legislação que impede a navegação de recreio naquela que é a maior albufeira do distrito de Portalegre.

Para estes municípios trata-se da oportunidade de tirar partido, em termos turísticos, da Barragem do Caia, atraindo mais turistas e dinamizando a economia local.

Imagem de capa daqui.

MORA FOI NÚMERO 1 NO CAMPEONATO DAS MAIS QUENTES

No passado domingo, a localidade de Mora (Évora) registou a temperatura mais elevada do país, tendo registado 42,3º C.

Este verão tem sido pródigo em temperaturas elevadas – mais que o habitual – e ontem, Portalegre registava também a temperatura mínima mais elevada: 26,5ºC.

O IPMA – Instituto do Mar e da Atmosfera, revelou à Lusa que "O mês de julho de 2016 em Portugal continental tem-se caracterizado por valores muito altos da temperatura máxima do ar, muito superiores aos valores médios e valores de temperatura mínima superiores ao normal".

CAMPO MAIOR ASSINALA VINDIMA COM EXPERIÊNCIA ÚNICA

Durante todo o mês de setembro a Adega Mayor, em Campo Maior, vai desenvolver a iniciativa “Experiência Vindima Mayor”.

Com esta iniciativa a adega alentejana vai assinalar o início das vindimas. O programa consiste numa oferta de enoturismo mais ambiciosa e que quer dar a conhecer aos visitantes todo o processo de “fazer vinho”, desde a apanha da uva à sua transformação em vinho.

ALENTEJO: TODA A GENTE QUER FAZER VINHO

Todos os anos os agricultores que pretendem ser viticultores devem submeter-se à aprovação do Instituto da Vinha e do Vinho.

Este ano, a vontade de produzir uvas no Alentejo excedeu a oferta – em área - que o Instituto da Vinha e do Vinho disponibilizava, para a região, em oito vezes; para os 100 hectares disponíveis para nova vinha, foram recebidas intenções de plantação superiores a 800 hectares

Páginas