3 Dezembro 2018      13:38

Está aqui

Sines ganha vantagem mundial com a ascensão do gás natural

A crescente procura mundial de gás natural liquefeito (GNL) enquanto energia mais limpa, a localização estratégica e a experiência e capacidade instalada do Porto de Sines, colocam-no numa posição central num futuro "hub atlântico para o GNL", é a convicção de Filipe Costa, CEO da aicep Global Parques, na Revista Cargo.

"A localização estratégica de Sines, as infra-estruturas e a capacidade instalada já existentes, bem como a procura mundial de energias mais limpas potenciam uma maior diversificação na importação de GNL para Portugal", defendeu o responsável pela promoção do papel de Sines na ascensão da solução energética GNL, na World LNG Summit, que decorreu este ano em Lisboa.

"As oportunidades para um hub de GNL em Sines são os mercados da Península Ibérica, Madeira e Açores, a possibilidade de uma futura interligação entre a Península Ibérica e a França, a reexportação por pipeline virtual (navio) para a Europa do Norte e a África Ocidental e ainda o abastecimento de navios porta contentores movidos a GNL, Green shipping".

Iraquianos e norte-americanos têm dado especial atenção ao Porto de Sines e Portugal e os Estado Unidos, em 2017, chegaram a fazer uma declaração conjunta que afirmava a importância estratégica do Porto de Sines como hub atlântico de gás natural liquefeito e da relação Portugal-Estados Unidos.

Imagem de capa de lngexports.com

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

 

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.