10 Abril 2021      14:14

Está aqui

A sardinha e o carapau

Era uma vez um mundo que deixou de existir tal como o conhecemos. Era uma vez um país que, depois da crise que mudou o mundo, se voltou para o espaço.

Como já tinha feito há muitos anos atrás, Portugal, vendo a sua terra toda atrasada decidiu sair das suas fronteiras territoriais e rumar a novos destinos.

Já não havia oceanos para navegar. Lentamente a água foi evaporando e o sal desapareceu. Já não era o sal da terra de que falava António Vieira aos peixes. Os oceanos deixaram de existir e aqueles que lá habitavam tiveram de se acostumar aos costumes da terra e às coisas que os animais de lá faziam.

Entre esses havia uma sardinha e um carapau que excediam as suas capacidades todos os dias. Longe do mar, deixaram de ser peixes de água salgada.

Nessa altura, os países viraram-se para a lua e marte. Nesse satélite e nesse planeta já tinham sido construídas estruturas que permitiam viver fora da Terra. Já não existia Terra, o Alentejo já não tinha os campos planos e imensos. O trigo já não dava farinha porque não existia.

A cortiça, os sobreiros e as azinheiras eram só memórias que se liam nos livros das escolas dos peixes.

Sardinha e Carapau fizeram a escola juntos. Não teriam nunca vivido no Alentejo porque não havia lugar para eles, mas em 2075 no ano em que a água desapareceu e quando os peixes desceram à terra, as coisas mudaram.

Sardinha e Carapau ingressaram, no seu tempo, na Escola de aeronáutica e tornaram-se astronautas, como sempre tinha sido o seu sonho! As coisas não foram fáceis, nem ao contrário se esperava.

A escola de astronautas não foi fácil para a sardinha e o carapau. Não eram, inicialmente, os melhores da turma, mas com muita dedicação e empenho, passaram a ser os melhores da classe, ultrapassando o linguado, a solha e os polvos.

Terminado o curso com sucesso, foram selecionados para liderar a equipa exploratória da nave PISCIS-01, cuja missão era implementar uma base em Marte.

Resumindo a nossa história, contemos que a viagem correu pelo melhor, com algumas atribulações, mas que acabou por ser uma experiência de vida. Os peixes saíram dos oceanos, saíram da terra, atravessaram a estratosfera e chegaram a Marte, onde nunca nenhum ser chegara.

Sardinha e carapau concluíram a sua missão. Agora, arranjar água em Marte é que era complicado. Nem sal, nem água... as barbatanas bateram de sofrimento. Que fazer?

Sardinha e carapau não iam desistir! Não podiam!

E o que aconteceu a seguir? Na terra vermelha do planeta novo, buscariam gelo, buscariam a fonte da vida e superariam mais uma barreira.

Estou certo de que sardinha e carapau que passaram três níveis, seriam seres diferentes em Marte. Seriam eles capazes de construir uma civilização nova? Filho de peixe sabe nadar....

Sardinha e carapau não tinham aprendido a nadar, mas voavam.... será que isso conta?

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.