13 Março 2018      11:05

Está aqui

Risco de Rotura na Urgência Pediátrica em Évora gera críticas da Ordem dos Médicos

Miguel Guimarães, Bastonário da Ordem dos Médicos
O Bastonário da Ordem dos Médicos (OM) Miguel Guimarães considerou hoje que o risco de rotura da Urgência Pediátrica do Hospital de Évora, e que levou ontem os médico pediatras daquela unidade a reclamar por mais médicos especialistas e melhores condições de trabalho “é mais uma das muitas faces visíveis do desinvestimento a que tem sido sujeito o Serviço Nacional de Saúde (SNS) na última década”. “Dificuldades que se acentuam nas unidades de Saúde das regiões do Interior”, lamentou.
 
Ainda segundo o mesmo comunicado “a Ordem dos Médicos vai responsabilizar o ministro da Saúde pela segurança clínica dos doentes e dos médicos, instando o Governo a resolver rapidamente a situação e pedindo a intervenção dos deputados da Assembleia da República”.
 
É esta a reação da Ordem dos Médicos ao alerta dado pelos pediatras do Hospital do Espírito Santo em Évora, que numa posição conjunta, reclamam por melhores condições de trabalho e pela contratação de médicos especialistas. Num documento assinado pelos pediatras daquele hospital, e pelo diretor de Serviço de Pediatria, os médicos sublinham o "risco de rotura da Urgência Pediátrica" devido à falta de profissionais e por considerarem que as instalações em que trabalham não são adequadas.
 
“A Ordem dos Médicos tem vindo a alertar que em muitas unidades de Saúde as escalas de serviço só são asseguradas graças ao esforço e dedicação exemplar dos médicos, que asseguram, muitas vezes com prejuízo pessoal, escalas sucessivas para evitar que falhe a prestação de cuidados de saúde aos utentes do SNS”, frisa o Bastonário da Ordem dos Médicos. “A denúncia pública dos médicos do Hospital de Évora , que foi também remetida à Ordem, é o resultado da exaustão em que muitos destes colegas se encontram”, acrescenta.
 
Para o Bastonário da Ordem dos Médicos “é de lamentar que no recente concurso para a colocação de jovens médicos especialistas apenas esteja prevista uma vaga para cirurgia pediátrica para o Hospital de Évora e nenhuma para médicos pediatras.
 
O presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo já garantiu que não vai permitir qualquer rotura da urgência em Évora: “Faremos tudo para que seja garantida com qualidade a continuidade dos cuidados de Pediatria”, declarou José Robalo à Agência Lusa.
 
Imagem de capa de Jornal Médico
CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.