28 Março 2019      10:50

Está aqui

Reforma Europeia da Diretiva da Água é um “avanço significativo na direção certa”

“A reforma em debate não é tão ambiciosa como poderia ser, designadamente no direito de acesso à água e na monitorização de microplásticos, ficando aquém da petição cidadã, mas é um avanço significativo na direção certa e que poderemos melhorar ainda na votação em plenário”, afirmou Carlos Zorrinho no debate travado em Estrasburgo sobre a Proposta de Diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho relativa à qualidade da água destinada ao consumo humano.

Trata-se, no entanto, de “uma reforma justificada e oportuna, prevendo a adoção de medidas para facilitar o acesso à água em espaços públicos e alinhar os padrões de qualidade da água potável com os parâmetros científicos mais atualizados” defendeu o Eurodeputado socialista na sessão plenária.

Na sua intervenção de ontem à noite, Carlos Zorrinho destacou “a redução dos limites de concentração de certos poluentes como o chumbo, a introdução de novos limites para os desreguladores endócrinos,  o início da aplicação de procedimentos de monitorização dos microplásticos, a promoção da utilização de fontes de acesso livre, que encorajem a disponibilização de água da torneira, e a transição para uma economia circular, contribuindo para reduzir a utilização de garrafas de plástico” como elementos positivos a valorizar.

A Diretiva Água Potável (Diretiva 98/83/CE) está em vigor há mais de 20 anos e é um dos pilares da legislação da UE no domínio da água, proporcionando um abastecimento de água de qualidade em mais de 99% dos fornecimentos.

A sua revisão dá seguimento à primeira iniciativa de cidadania europeia bem-sucedida, “Right2Water” que recolheu 1,6 milhões de assinaturas em favor da melhoria do acesso a água potável para todos os europeus.

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.