25 Novembro 2018      00:26

Está aqui

A pintura de Jean Michel Basquiat e outras notas

Artista com poucos estudos, que não pode viver sem a palavra, sempre presente, por vezes abarcando o quase tudo da obra, em fundo branco, bege ou negro.

Os rostos sem qualificação possível, bocas extensas e olhos não raras vezes de sangue. Quanto aos olhos, naquele ponto para lá da perplexidade, mesmo para lá do medo.

Braços abertos ou em súplica, ou por raiva; suprema raiva – conclui-se. Outras tantas vezes apenas latente. Morreu jovem, pois claro.

Desconforto de quem é negro e tem o infortúnio da memória intransigente, que consome expelindo ressentimento no processo. Alguns conseguem esquecer, outros não.

Posição política que prevalece sobre as linhas clássicas do belo. Característica do revolucionário que não sabe o que fazer com a revolução. Pressente-a antes de a compreender. Nalguns casos, talvez a maior parte, nunca chegará a compreender; em todos eles não pode deixar de sentir. Dizemos isto e parece-nos ver Basquiat com grande nitidez.

 

Roger Corman

Os filmes de Roger Corman, devido ao seu ritmo de trabalho (excessivo, digamos) enquanto produtor / realizador, eram como que um vaguear entre disponibilidades do momento e hipóteses criativas, pelo que muito facilmente os filmes de uns se transformavam em filmes de outros. Histórias interligavam-se; actores teletransportavam-se; partilha de meios, película e até de fotogramas (belos, rústicos, bastas vezes extravagantes, conjuntos de 24 vezes os segundos necessários)...

 

Philip K. Dick: enquanto não chegam VALIS e Invasão Divina

(De Dick: We Can Remember It For You Wholesale. Para instruídos via cinema com mais de 35 anos, Total Recall / Schwarzenegger / Verhoeven. Menos cérebro, menos congruência (pois, por incrível que pareça), e mais inventividade, porventura inocência. Como esquecer a invasão dos ratos interestelares, da qual resulta o resgate do nosso herói Doug (nunca Hauser, como no filme) e a salvação dos restantes de entre nós, pobres humanos que estiveram, sem o saber, tão próximos da perdição.  Estranho destino de um homem cujos sonhos não passam afinal de memórias perdidas por lembrar. Quero desesperadamente fazer o que já fiz e esqueci, reviver o que já  me aconteceu e não recordo – da inocência emerge uma ode em tom de farsa ao eterno retorno.)

 

 

Imagem de scd.en.rfi.fr

 

 

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.