4 Junho 2018      09:16

Está aqui

Ossa Morena, o amor às raízes culturais alentejanas

Não são da terra mas é como se fossem.
Ela, Filipa Campos, vinda do mundo das artes visuais, designer, escultora, nascida em Coimbra, mudou-se para Pavia em 2017. Ele, Paulo Fonseca, vindo do mundo da comunicação e da escrita, nascido em Lisboa, mudou-se para Pavia. Os dois, comprometidos com a "salvaguarda dos vestígios da identidade cultural como um acto de resistência poética" recolhem e preservam a poesia popular, os ofícios, a memória e tradição oral do Alentejo através de uma plataforma cultural nascida em 2016 em Pavia, Mora.
 
Falamos da Ossa Morena, uma plataforma eletrónica, colaborativa, que aloja um significativo arquivo sonoro, visual e documental das tradições alentejanas e que pode ser visto em www.ossamorena.pt.
 
O arquivo sonoro

Produção própria. Série documental fonográfica, sob epígrafe O Aparato Silencioso das Coisas, centrada na tradição oral, na poesia popular, nas estórias e costumes, na música e ofícios do Alentejo. A cada capítulo deste arquivo desfiam-se as memórias e as múltiplas discursividades, parcelas do retrato comunal das manifestações singulares do património imaterial desta região.

O arquivo visual
Colaborativo. Arquivo de fotografia artística, académica, institucional; álbuns individuais e familiares.

O arquivo documental
Colaborativo. Arquivo de correspondência, documentos manuscritos, dactiloscritos e espólios individuais, familiares e institucionais.

Tudo para "pleno usufruto de cidadãos singulares e/ou coletivos que pretendam desenvolver projectos de âmbito académico, educacional e cultural sem fins lucrativos". A acompanhar.

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.