31 Março 2021      17:52

Está aqui

Obrigado Évora, olá Viana do Alentejo!

«... uma abstenção habitual acaba por transformar o homem. Até pela cara se consegue adivinhar quem  é um homem que se tem vencido a si próprio diariamente, ou quem é um homem que se entrega com

 passividade ao dia a dia. »  in   'A Vontade de Poder'  de Friedrich Nietzsche

 

Se há pessoas que necessitam de estímulos e desafios para se sentirem realizadas, essas tipificam exactamente a minha forma de ser e estar para me sentir útil.

Muitas vezes por entre alguma inconstância ou desistência, sobressai sobretudo a consciência de missão cumprida, de objectivos realizados e, logo necessito de outros caminhos para trilhar. Assim aconteceu comigo mais uma vez no trabalho político de tentei desempenhar em Évora, tanto na organização interna local do CDS, como no lugar para o qual fui eleito em 2017, na Assembleia Municipal de Évora.

Senti o dever cumprido pelas presenças que tive tanto na Assembleia Municipal de Évora, como na Comissão Municipal de Economia e Turismo de Évora e  no Conselho Municipal de Juventude de Évora. Até ao momento, em 14 sessões plenárias  da AME que decorreram desde que fui eleito participei em 12 delas, sendo uma ausência por doença e outra por ausência do território continental.

Julgo que criámos muito oportunamente  neste espaço para que fomos eleitos, um contributo muito positivo, onde saliento entre outros aspectos:

#Participámos sempre quando presentes no debate nas Assembleia Municipais, fazendo vincar as nossas posições;

#Promovemos várias audiências e visitas a organizações locais como forma de conhecermos a realidade económica, social, desportiva, associativa, etc;

#Promovemos em articulação com o Grupo Parlamentar do CDS-PP questões dirigidas ao Governo de Portugal, nomeadamente sobre a situação do Hospital do Espírito Santo de Évora e do Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo;

# Apresentámos sempre na discussão dos Orçamentos Municipais de 2018, 2019, 2020  2021, propostas válidas e construtivas;

#Apresentámos dezenas de Propostas de Recomendação ao Executivo Municipal, sendo que a sua esmagadora maioria foram aprovadas;

# Conseguimos integrar numa sessão plenária da AME um ponto de discussão e deliberação associado à situação aflitiva que se vivia na Escola Básica de São Mamede, estimulando a participação popular e de entidades responsáveis pela  sua gestão;

#Defendemos desde o início o processo de candidatura de Évora a capital Europeia da Cultura 2027, tendo inclusive para o efeito organizado uma visita institucional do Executivo Municipal até ao Museu Nacional de Arqueologia, em 2018;

#Viabilizámos a reestruturação de serviços municipais que o Executivo Municipal tanto reclamava, impondo contrapartidas na sua organização e fiscalização e acompanhamento ao processo em curso;

#Utilizámos os meios ao nosso alcance para, no que entendíamos ser uma correcta fiscalização municipal,  recorrendo inclusive à DGAL – Direcção Geral da Administração Local e ao Ministério Público, quando entendemos que não fomos suficientemente esclarecidos ou quando verificámos situações que poderiam ter lesado o interesse público ou a política de transparência;

#Apresentámos sempre interesse na dignificação do órgão da Assembleia Municipal, apresentando propostas de nova redacção do Regimento da AME, de sessões descentralizadas da mesma para as freguesias rurais do concelho e de melhores formas de comunicação e de participação dos munícipes, como da divulgação da informação aí produzida nas plataformas online;

#Apresentámos uma proposta para a realização de uma Audição à Saúde perante a conjuntura de Covid19, das claras insuficiências do SNS no nosso concelho e do constante adiamento do novo Hospital Central do Alentejo. Esta proposta foi aprovada em sede de AME e a mesma realizar-se-à este ainda este mês.

Fizemos muito mais! Apresentámos um critério de discussão e debate político assente na credibilização das forças partidárias e da criação de pontes sempre que essas fossem possíveis, mesmo de entre diferenças ideológicas. Fizemo-lo sem taticismos políticos ou circunstanciais, olhando pelo interesse público e pelos nossos munícipes.

E por tudo isto, por considerar que o partido que represento tem uma equipa fantástica capaz de multiplicar tudo o que fizemos até ao momento e de reforçar a representatividade do CDS no concelho, e por sentir estar esgotado o meu contributo em Évora no presente, resolvi comunicar à minha estrutura local que não me recandidataria nas próximas eleições autárquicas.

No final, se me permitem esta auto-crítica, considero ter feito a minha parte do trabalho acima referido e ter contribuído para a dignificação dos agentes políticos, no caso na Assembleia Municipal de Évora. Apenas fica um amargo de boca por não cumprir até ao fim o mandato que renunciarei a breve trecho, mas não sem antes participar na mencionada Audição à Saúde no Concelho e na próxima Assembleia Municipal de Évora onde quero cumprir com a apresentação de propostas de recomendação há muito estudadas para o concelho. Entregarei o meu pedido de renúncia nessa mesma Assembleia Municipal, sendo substituído por alguém que fará parte do projecto autárquico de 2021-2025, dando esse espaço a quem poderá dar mais de si por Évora.

Em paralelo fui convidado para ajudar à criação da estrutura local do CDS em Viana do Alentejo e de estimular uma candidatura autárquica.  

O convite não foi um acaso. Tenho a família paterna oriunda do concelho de Viana do Alentejo e ali tenho motivos profissionais e relações familiares e de amizade que muito prezo. Relações essas que tiveram um impacto muito forte em mim quando em 2015 tive, quiçá o maior desafio da minha vida. Sinto-me muito grato por todos aqueles que de forma inconsciente me ajudaram a superar todas essas vicissitudes.

Desde então quis apresentar-me enquanto parte activa dum projecto autárquico que tivesse capacidade de ser uma verdadeira alternativa não socialista na liderança municipal do concelho. Entendi que estrategicamente o fim de ciclo de 3 mandatos do PS em Viana do Alentejo, da necessidade de uma candidatura forte, conhecedora das necessidades do concelho, transversal a todas as pessoas que queiram participar na mudança,  com rasgo e visão, com capacidade humana para colocar toda essa vontade em prática e, por fim a demonstração de vontade de António Costa da Silva de se candidatar nestas eleições em Viana do Alentejo, eram motivos muito relevantes para que determinassem esta minha vontade. Serei candidato num projecto autárquico no concelho de Viana do Alentejo, liderado por António Costa da Silva, agora designado como VIVA. Um projecto virado para o futuro, não para o que não foi feito, ou mal feito, mas para o que desejamos construir de novo na práxis política, na participação cívica, na vivência social e económica do concelho.

Quero  emprestar as minhas ideias e a minha experiência para contribuir para novas soluções em Viana do Alentejo. Estou certo que o candidato António Costa da Silva é a pessoa ideal para trazer nova dinâmica ao concelho, uma visão mais libertadora para a economia, uma rede municipal solidária e uma centralidade do concelho no âmbito distrital. Este é o candidato que traz esperança, seriedade, empenho e entrega à causa pública, que valoriza o debate político no concelho e que pode trazer uma vitória inédita em Viana do Alentejo.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.