9 Agosto 2018      10:54

Está aqui

Marvão perdeu floresta mas "não será afetada" no turismo

O fogo varreu 100 hectares da encosta do Castelo de Marvão, distrito de Portalegre, num incêndio que envolveu 266 operacionais, 69 veículos e oito meios aéreos, um deles espanhol, com o trabalho dificultado pelo terreno íngreme. Não sobrou uma árvore em toda a volta daquele castelo, salvando-se apenas as que estavam abrigadas no interior da velha muralha.

Os prejuízos foram consideráveis na paisagem e no património mas o município considera que a perda, sobretudo dos 100 hectares na paisagem, não afetará o turismo na localidade. Pelo menos é assim que pensa Luís Vitorino, presidente do município, que considera que "Marvão está na moda". Para já a autarquia está a trabalhar num plano de reflorestação da zona ardida ao mesmo tempo que está concentrada na sexta edição do Periferias - Festival Internacional de Cinema de Marvão e Valencia de Alcántara (Espanha) que decorre, a partir de sexta-feira e até ao dia 20 deste mês, em aldeias dos dois lados da fronteira.

Os cenários escolhidos para realização das projeções do festival são únicos, como uma antiga estação de comboios, as ruínas de uma cidade romana, uma ponte medieval sobre o Rio Sever e um lagar reconvertido em museu, além dos castelos da região.

Foto © J. Bucho/NCV

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.