12 Maio 2020      11:04

Está aqui

Manter o foco nas pessoas e no combate à pandemia

Manter o foco nas pessoas e no combate à pandemia, sempre do lado da construção de soluções.

Com o contributo de muitos, o Baixo Alentejo tem apresentado uma baixa incidência de contágio e de mortalidade, no atual quadro pandémico, sendo importante que o esforço individual de proteção e de reajustamento dos comportamentos e a mobilização de vontades para a ação continue.

Apesar do esforço de poucos para recentrar a atenção na politiquice e nas tricas partidárias, o foco deve-se manter na concretização de respostas para as pessoas, no reforço das medidas de proteção perante o risco pandémico e na sustentação das necessidades de quem está na primeira linha do maior desafio de saúde pública de décadas.

Aquele esforço desesperado que ignora que da China aos Estados Unidos, passando pela Rússia e pela esmagadora maioria dos países europeu, a pandemia sublinhou a existência de fragilidades que todos procuraram responder de forma diferente, tendo o confinamento, o Estado de Emergência e outras medidas de contenção produzido os efeitos positivos esperados no combate, apesar da oposição de alguns, poucos.

Para quem como o PCP se alimenta do protesto, do problema e da compartimentação das responsabilidades, como se ainda vivêssemos na era da Guerra Fria, é incómodo assistir a uma mobilização de vontades para procurar superar as dificuldades e concretizar soluções, em linha com as disponibilidades financeiras e um sentido de urgência na emergência, mas de sustentabilidade das soluções.

É o que têm feito os eleitos do Partido Socialista no Baixo Alentejo, como os eleitos noutros pontos do país, colocarem-se do lado das soluções perante os problemas.

É o que tem feito a CIMBAL, como Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, na mobilização de recursos e de soluções para responder aos desafios colocados às populações e aos territórios.

É o seu sentido de serviço público, em linha com o esforço que estão a desenvolver os profissionais do Serviço Nacional de Saúde e todos os que contribuem para viabilizar o acesso dos cidadãos a bens e serviços fundamentais.

É esse sentido cívico que esteve presente nos hábitos dos portugueses quando outros preferiam dar sinais contrários com grandes aglomerações, num tempo de responsabilidade, de confinamento e de observância das medidas de proteção individual e comunitária para conter e combater a pandemia.

Por muito que custe a alguns, dentro das vontades, das disponibilidades e das forças continuaremos a concretizar o que ainda não conseguimos na anterior legislatura e nos atuais mandatos autárquicos, agora com mais um desafio acrescido pela pandemia.

O foco, local, regional e nacional, continuará a estar nas pessoas.

O PS do Baixo Alentejo reafirma o agradecimento aos profissionais de saúde, aos profissionais que concretizam o acesso a bens e serviços essenciais para as populações e ao sentido de missão dos eleitos locais e das entidades regionais.

O PS do Baixo Alentejo sublinha a importância da resposta do Mundo Rural no quadro de necessidades alimentares dos portugueses durante este período da pandemia, que resultou num reforço do posicionamento estratégico da atividade agroalimentar no contexto nacional.

Com sentido de noção das realidades, continuaremos a trabalhar do lado da construção de soluções, deixando a outros o mero sublinhar dos problemas, como quase sempre.

----------------------------------

Pedro do Carmo é deputado do PS por Beja. Licenciado em Direito, é também presidente da Federação do Baixo Alentejo do Partido Socialista.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.