25 Maio 2019      14:23

Está aqui

Já há armadilha para a vespa-asiática

Já há armadilha para a vespa-asiática e funciona com o velho truque do cavalo de Tróia. Esta armadilha foi desenvolvida em por cientistas, em Portugal, e espera-se que destrua os ninhos de vespas-asiáticas que se têm propagado pelo território nacional.

Como TA já revelou por diversas vezes, a a vespa asiática – ou velutina - tem 5 vezes mais veneno do que uma vespa normal, propaga-se com muita facilidade, e representa uma ameaça para os apicultores por ser predadora, matando os enxames de abelhas comuns e impedindo a polinização e a produção de mel, mas é também uma ameaça para a saúde pública, pois são muito agressivas, sendo capazes de fazer perseguições superiores a uma centena de metros e 20 a 25 picadas desta espécie são suficientes para matar um adulto saudável e não alérgico.

Mas agora há um antídoto eficaz para evitar a sua reprodução e propagação: a colocação de umas pequeníssimas esferas vermelhas perto das colmeias das abelhas. Estas pequenas esferas vermelhas - composta por polissacarídeos, bem como proteínas animais (com fígado de bovino ou carne de aves) e aromas (como óleo de camélia), que atraem a vespa-asiática. No entanto, essa pequenas bolas – de 4mm - são compostas por um biocida que matará as vespas dentro do ninho, um cavalo de Tróia. O fato de serem vermelhas deve-se a imitar o tórax de uma abelha que, após ser caçada pelas vespas, estas cortam-lhes as pernas, asas e cabeça e levam o tórax para o ninho.

Estas esferas foram uma invenção dos cientistas do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, e vão agora ser testadas em céu aberto.

 

Imagem de medium.com

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.