1 Agosto 2020      11:19

Está aqui

Investigadores de Portalegre e Setúbal alertam para o desaparecimento de 19% da Economia Social

Um estudo realizado por investigadores do Institutos Politécnicos de Portalegre e Setúbal, sobre o impacto da Covid-19, refere que 19% das Organização da Economia Social podem encerrar nos próximos dois meses

Na base destes encerramentos estarão 3 fatores: a redução das contribuições devido ao cancelamento de serviços, um decréscimo nas doações e a falta de equipamento de proteção, segundo as Organizações da Economia Social (OES), onde cerca de 80% das mesmas afirmou ter registado uma diminuição de receitas nos últimos tempos.

Com o nome “Economia Social no contexto Covid-19”, o objetivo dos investigadores foi analisar a realidade atual das OES com o objetivo de contribuir para as políticas públicas e a gestão destas organizações. Entre as IPSS estudadas, todas tinham mais de 20 anos e trabalham nas áreas do apoio à pessoa idosa, educação, artes e cultura, juventude, serviços sociais, desporto e saúde.

Os resultados do estudo mostram que 24% das OES terá dificuldades em pagar por completo as remunerações nos próximos dois meses, com especial agravamento das que operam nas áreas das artes e cultura.

O estudo “Economia Social no contexto Covid-19” – que analisou ainda dados como a comunicação com outras entidades, por exemplo - envolveu um universo de 557 OES, de todos os distritos de Portugal, entre 27 de maio e 8 de julho de 2020.

 

Imagem de protegez-vous.ca

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.