13 Abril 2019      18:31

Está aqui

Como o idoso alentejano se tornou destaque em exposição nos Estados Unidos

aguarela de nome "O meu pai, My Father"

Foi pela mão do pintor autodidata alentejano Júlio Jorge que nasceram as aguarelas de 60 idosos alentejanos. Sendo que uma delas foi destaque numa das mais conceituadas exposições de aguarelas do mundo: a exposição da “The American Watercolour Society”.

Natural de Montemor-o-Novo, Júlio Jorge já venceu vários prémios nacionais e internacionais e o seu trabalho sobre os idosos de uma aldeia alentejana chamaram à atenção nos Estados Unidos.

Com uma pintura realista, precisa e minuciosa – com base na paciência e calma pródiga da região - permite que as cores se fundam umas nas outras, e retrata os rostos de idosos que conhece, com quem conversou e vivenciou, no total de 60 retratos.

Foi um destes retratos que permitiram que Júlio Jorge fosse selecionado para a exposição anual da “The American Watercolour Society”, e que esteve exposto, em Nova Iorque, sendo vendido ainda antes da exposição terminar.

Com várias preocupações quanto ao futuro do Alentejo e ao seu envelhecimento populacional, já no ano passado o pintor alentejano tinha visto um a obra sua ser distinguida numa exposição em Los Angeles, também nos Estados Unidos.

 

Fotografia de uma aguarela do autor de nome "O meu pai, My Father" retirada da página de Facebook do autor

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.