2 Abril 2018      15:47

Está aqui

Há uma “nova cidade” que vai renascer no Alentejo

Há uma “nova cidade” no Alentejo, mas atente-se: ali vive uma enorme serpente que guarda um tesouro e mata quem o quiser levar!
 
Assim reza a lenda segundo a população e que, como em tantos outros casos no Alentejo, faz cobrir de magia tempos antigos e desconhecidos e que só os vestígios arqueológicos e a investigação tornam mais nítidos. Um desses casos é a “cidade das Rosas”, uma villa romana que a Câmara de Serpa quer ver recuperada.
 
Uma vez mais, como em tantas outras terras alentejanas, o achado pertence ao reconhecido arqueólogo português do século XIX, Leite de Vasconcelos.
 
De finais do século I a.C. – e ocupada até meados do século V da era cristã – na área também foram recolhidos vestígios do período Paleolítico, Neolítico, Catalítico e do Ferro, está situada a 4 km de Serpa, na Herdade das Barrosas e recebeu o seu nome a partir do nome da herdade e a designação de cidade pelas muitas estruturas arqueológicas – há vestígios de um edifício termal, um lagar, um balneário, uma barragem, uma necrópole, habitações e edifícios que terão sido indústrias - aqui existentes e que levam a crer ter sido uma grande cidade romana, tendo ocupado cerca de 1,5 e os 3 hectares.
 
O projeto municipal prevê para aquele local arqueológico – alvo de muitas violações e furtos – um primeira intervenção para limpeza e aumento da proteção; também os seus acessos serão melhorados e serão alvo de sinalização, assim como se prevêem novas intervenções arqueológicas e o envolvimento da comunidade escolar local, como forma de valorizar aquele património.
 
Imagem de capa de archeologando.wordpress.com

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.