3 Abril 2017      11:13

Está aqui

FESTIVAL EM MÉRTOLA COM MENOS ESPANHÓIS DEVIDO A ESTRADA CORTADA DESDE O NATAL

Um desabamento de terras na estrada que liga Pomarão em Mértola a El Granado, em Huelva tornou desde o dia 5 de dezembro do ano passado intransitável a Ponte do Chança. As duas localidades, portuguesa e espanhola têm criticado fortemente a inércia das autoridades espanholas, já que o lado português limpou o desabamento poucos dias depois deste ter acontecido. O que é certo é que 4 meses depois a estrada continua interrompida e a prejudicar portugueses e espanhóis.

O Festival do Peixe do Rio de Pomarão, Mértola, que decorreu este fim de semana, foi também afetado por este corte na estrada já que impediu a visita habitual das comunidades espanholas de El Granado, Puebla de Guzman, Villanueva de los Castillejos, El Almendro e Tharsis.

Ainda assim e segundo uma peça de Teixeira Correia no JN de sábado, "muitos foram aqueles que ignoraram as placas que assinalam o corte de estrada e chegaram junto ao aluimento, deixaram as viaturas e fizeram a pé, cerca de 300 metros, para chegarem ao local onde decorre o festival e degustarem as iguarias do rio Guadiana. Os automobilistas contam com a ajuda da Guardia Civil, que tem fechado os olhos à situação, e que faz um patrulhamento juntamente com a GNR."

Jorge Rosa, presidente da Câmara de Mértola, acusa as autoridades espanholas de inércia e desatenção já que passaram cerca de 4 meses desde o desabamento e que só estão previstas limpezas durante o mês de abril. Mas do lado espanhol a informação disponível aponta para a permanência do problema até ao final do verão, dependendo do resultado de estudos geotécnicos que alegadamente estarão a ser feitos.

Imagem de capa do sulinformacao.pt

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.