24 Março 2019      09:23

Está aqui

Especialistas defendem que Alentejo está a crescer acima da média nacional

O Alentejo está a crescer acima da média nacional, no entanto lida com falta mão-de-obra especializada, modernização e salários "qualificados". Estes fatores, aos quais se junta a gestão dos recursos hídricos, serão os grandes desafios do Alentejo enfrenta, segundo os convidados do Fórum Desafios e Oportunidades – Alentejo, uma parceria ECO/EuroBic, que decorreu no final da semana em Évora.

Neste fórum, foi referido que, de 2009 a 2017, o PIB per capita no Alentejo cresceu 20%, acima dos 13,8% da média nacional. O produto gerado pela região, no mesmo período, foi de 95% e só o Algarve o conseguiu superar.

O Fórum Desafios e Oportunidades – Alentejo, contou com as participações de Ana Costa Freitas, reitora da Universidade de Évora, José Pedro Salema, presidente da Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) e José Mateus Ginó, presidente da Fundação Eugénio de Almeida, aos quais se juntaram dezenas de empresários e investidores em Évora.

A reitora da Universidade de Évora revelou que há bons indicadores, mas que há muito por fazer ainda, assinalando a falta de oferta de emprego qualificado como um dos pontos negativos.

José Pedro Salema, líder da EDIA, revelou que só em 2025/26 se contava chegar a uma taxa de adesão de 80%; neste momento já se atingiu os 82%, fruto do elevado investimento que a atratividade do Alentejo tem conseguido.

José Mateus Ginó, presidente da Eugénio de Almeida diagnosticou também a mão-de-obra adequada como um dos elementos limitadores do crescimento da atividade industrial e empresarial no Alentejo.

 
Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão
 
 
 
CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.