4 Junho 2018      18:26

Está aqui

Escultura com 12 toneladas de cortiça evoca memória colectiva de Coruche

O Município de Coruche inaugurou, na abertura da FICOR – Feira Internacional de Cortiça, uma rotunda em cortiça, no cruzamento entre a Estrada Nacional 114 e a Estrada Nacional 251 (no acesso à vila de Coruche) que sobrepõe 630 blocos em forma de anel, com um peso total de 12 toneladas e que pode representar "a maior escultura em cortiça existente".

A peça, que marca a porta de entrada na Capital Mundial da Cortiça e tem como objectivo, reforçar a memória colectiva de Coruche, foi inspirada na forma de um silo, “evocando a ideia de reservatório e armazenamento da memória colectiva, ao mesmo tempo que foi pensada como um mecanismo de precisão, que se quer dinâmico. O desenho circular lembra um instrumento de registo do tempo, reforçando a ideia de memória”, explicam os arquitectos.

Os 630 blocos de cortiça (cerca de 100m3 de cortiça com 12 toneladas) estão dispostos em sete anéis sobrepostos, representando as seis freguesias do concelho. O sétimo anel, em forma de “C” representa Coruche, a Cortiça e o Concelho Capital Mundial da Cortiça, unificando as freguesias.

O concelho de Coruche produz diariamente cinco milhões de rolhas e acolhe o Observatório do Sobreiro e da Cortiça, um pólo de investigação único na área do Montado e da Cortiça, e a Feira Internacional da Cortiça.

 
CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.