15 Outubro 2019      12:48

Está aqui

Empreendedores da Universidade de Évora vencem prémio com tenda biónica para refugiados

O concurso de melhores ideias de negócio Born from Knowledge 2019, promovido pela Agência Nacional de Inovação, atribuiu ao Nautilus, um projeto desenvolvido na Universidade de Évora, o prémio inovação na categoria “Materiais e Tecnologias Avançadas de Produção”.

Guerras e outros conflitos, fome e más condições de vida e, cada vez mais, as alterações climáticas geram todos os anos milhões de deslocados. Segundo o Alto Comissariado para os Refugiados, o número de refugiados bateu, no ano passado, o maior recorde dos últimos 20 anos. São mais de 70 milhões de pessoas – e falamos apenas dos que estão registados. Começa a haver falta de abrigos e teme-se que os 20 litros de água limpa e segura que, pelas normas internacionais, devem ser assegurados aos refugiados, deixem de estar garantidos.

Face a este cenário, Inês Secca Ruivo e Cátia Bailão Silva conceberam uma tenda biónica, que promete ajudar as pessoas em risco humanitário, mas que também poderá ser comercializada para o público em geral. A tenda Nautilus, além de ser um abrigo facilmente transportável, incorpora um tecido com propriedades hidrofílidas e hidrofóbicas, que permite a recolha, recuperação e conversão da humidade ambiental em água limpa e segura para ingestão, bem como seu armazenamento e transporte. Com um design atrativo, a tenda, para uma ou duas pessoas, é facilmente montada e desmontada, e, graças às suas alças ergonómicas, é perfeitamente transportável de forma confortável nas deslocações.

As mentoras do projeto, que teve início em 2015, com a tese de mestrado de Cátia Bailão Silva, perspetivam produzir e distribuir as tendas Nautilus em 2022.

Poderiam não passar de ideias, mas o espírito empreendedor daqueles que as conceberam e o apoio das instituições de ensino superior que as viram nascer, transformaram-nas em projetos inovadores com viabilidade de negócio.

O prémio são três meses em programa de aceleração dos projetos (BfK Rise).

BfK Rise: Programa de Aceleração Tecnológica de três meses

O Nautilus foi um dos quatro escolhidos de um total de 30 projetos a concurso, representando instituições de ensino superior (públicas e privadas) com que a ANI desenvolve parceria. Os quatro, bem como aqueles que venceram a edição do ano passado, têm entrada direta para o programa de Aceleração em ciência e tecnologia “BfK Rise”, também da responsabilidade da ANI. Além destes, outros projetos poderão candidatar-se até 15 de novembro. Estão previstas três edições -  Norte, Centro e Alentejo - em que os participantes terão ao longo de três meses o acompanhamento próximo de uma rede de mentores, constituída por outros empreendedores, entidades parceiras da ANI, empresas, entre outros. O objetivo é capacitá-los de forma a poderem acelerar o processo de transferência de conhecimento em produtos ou serviços para o mercado.

 

Imagem de capa da Universidade de Évora

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.