2 Fevereiro 2019      12:36

Está aqui

Depois não digam que não avisámos…

Continua a saga dos problemas que o Governo tenta esconder a todo custo! Por isso, é fundamental denunciar estas graves situações, com o objetivo das mesmas serem travadas. Deixo novos exemplos:

1 - Diminuição de efetivos da GNR nas freguesias rurais no concelho de Montemor-o-Novo

Recentemente os Grupos Parlamenteares receberam a Tomada de Posição, denominada “Pela Segurança das Populações”, enviada pela Assembleia de Freguesia de São Cristóvão, do concelho de Montemor-o-Novo.

Na Tomada de Posição é manifestada uma grande preocupação relativamente à segurança do concelho, nomeadamente com a diminuição de efetivos da GNR no concelho de Montemor-o-Novo, em particular, nos postos das freguesias rurais.

No mesmo texto é referido que “perante esta situação, a possibilidade de encerramento dos postos da GNR nas freguesias rurais de Cabrela, lavre, Santiago do Escoural e São Cristóvão, onde se tem verificado a diminuição de efetivos ou mesmo a não presença de qualquer efetivo, associado á manifesta falta de patrulhamento preventivo nestes locais e freguesias, muito tem preocupado a população”.

Referem também que “a necessidade de garantir as condições para que as forças de segurança sejam equipadas com os meios necessários ao cumprimento das suas missões operacionais de proximidade, serviço público fundamental para a dissuasão da criminalidade, para a redução da vulnerabilidade dos mais idosos e para a segurança das populações”.

Estas matérias apresentadas são efetivamente preocupantes, pelo que merecem uma atenção muito especial de todos nós.

2 – Atrasos nos Pagamentos do POCH ao Agrupamento de Escolas nº 4 em Évora

De acordo com informações obtidas, o Agrupamento de Escolas nº 4 em Évora encontra-se numa situação crítica, por falta de recebimento de verbas do POCH (Programa Operacional do Capital Humano). Esta matéria tem a ver com despesas assumidas pelo Agrupamento para funcionamento dos Cursos Profissionais, Vocacional e CEF – Cursos de Educação e Formação.

O Agrupamento tem uma divida de 162.006,76€ referente ao funcionamento dos Cursos. Esta dívida deve-se ao atraso dos pagamentos por parte do POCH.

Conforme informação recebida a situação é muito grave. Os atrasos já ultrapassam os limites da razoabilidade. São inúmeras as situações de falta de pagamentos, apresentam-se alguns exemplos: transportes das crianças, despesas de materiais a armazéns locais, refeitório, deslocações de docentes (FCT), etc, etc.

Também é referido que é com muita dificuldade que conseguem respeitar o financiamento dos alunos.

O Agrupamento de Escolas tem vivido os últimos anos letivos num grande sufoco e com uma grande ginástica orçamental, que neste momento já não conseguem fazer face, por inexistência de verbas.

Estes atrasos e falta de pagamentos do POCH têm condicionado fortemente a atuação do Agrupamento de Escolas. Situação que nos parece claramente inconcebível.

 

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.