25 Maio 2016      11:47

Está aqui

DEDUÇÕES DEVASTADORAS DE UM CICLO (IM)PARÁVEL

SEM MEIAS NEM PEIAS

No último século, os avanços tecnológicos operados na área da saúde e no sector agroalimentar, trouxeram consigo um ciclo vicioso de destruição dos recursos naturais, que a cada novo início é amplificado por força do crescimento populacional.
 
Efetivamente, o progresso conduziu a humanidade para um aumento da população, que necessita de maior quantidade de alimentos, que provoca um aumento sucessivo na escala de produção, que impõe maior necessidade de exploração e extração de recursos naturais, que estimula o comércio, que induz os meios de comunicação social a promover o consumismo, que incita a necessidade de consumir, que traz a ganância, que gera aquecimento global, que provoca catástrofes, que reduz a produção de alimentos, que obriga a um aumento da escala de produção e assim sucessivamente...
 
Logo, o maior desafio da sociedade moderna é quebrar este ciclo interminável, devastador e implacável para com o meio ambiente. Portanto, a solução passa, inevitavelmente, pela adoção de um novo paradigma ético e holístico da ação humana, que envolva todas as pessoas e sectores da sociedade.
 
Neste contexto, é fundamental que a indústria, o comércio e as organizações mantenham uma postura responsável relativamente à questão ambiental, a qual poderá (e deverá) ser imposta pela mudança dos nossos hábitos de consumo.
 
Se cada um de nós passar a consumir menos com mais responsabilidade e recusar a compra de determinados produtos ou serviços pode travar a produção e o uso de artigos nocivos e agressivos para a natureza.
 
O consumo sustentável baseia-se na capacidade de escolher os produtos e serviços mais adequados, baseia-se na ideia de que o planeta não pode suportar os padrões de extração, exploração, produção e comercialização utilizados nas últimas décadas.
 
Consumir de maneira sustentável significa consumir menos e melhor, tendo em consideração os impactos ambientais, sociais e económicos das empresas e das suas cadeias produtivas.
 
A sustentabilidade ambiental é tudo o que precisamos para preservar os recursos naturais e equilibrar as necessidades de consumo com a capacidade de renovação da natureza .
 
O consumidor bem informado sabe quem é, sabe o que quer e está consciente dos impactes ambientais dos seus actos.
 
Quem estimula o comportamento ético no consumo é o consumidor consciente, que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de a geração futura atender às suas próprias necessidades.
 
Porém, se nada for feito, a tendência é o esgotamento dos recursos naturais, o agravamento das alterações climáticas e a consequente extinção de variadíssimas espécies presentes no planeta, inclusive a nossa.
 
Todavia, há uma enorme diferença entre nós e os nossos ancestrais, que respeitavam a terra e viviam em equilíbrio com ela. Será que somos assim tão avançados?

Imagem ©  JOHN STANMEYER | National Geographic

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.