22 Setembro 2019      10:49

Está aqui

Corrida pelo Porto de Sines provoca novo confronto entre EUA e China

O Porto de Sines é mais uma peça chave na declarada e aberta guerra comercial entre Estados Unidos da Améria (EUA) e a China.

Sendo o líder nacional no que toca à carga movimentada e sendo um porto moderno e em crescimento. Em breve vai ter mais um terminal, o “Vasco da Gama”, e há já algum tempo que os chineses vinham demonstrando interesse na concessão junto das entidades nacionais. Há já um largo volume de mercadoria a sair e entrar do Porto de Sines com a marca China. O terminal “Vasco da Gama” e Portugal são peça chave do plano chinês de estabelecer uma “Nova Rota da Seda”. No entanto, os americanos parecem querer agora colocar-se no meio da mesa de negociações e entraram nesta “guerra” pela concessão do porto.

O porto alentejano é o 20º porto europeu em peso bruto de mercadorias movimentadas, e, só este semestre, representa já 53,3% da carga contentorizada dos portos. Assim que o novo terminal Vasco da Gama – um investimento público-privado de 740 milhões de euros – Sines passará a ter capacidade para movimentar entre 3 e 3,5 milhões TEU/ano.

O concurso para concessão do “Terminal de Contentores Vasco da Gama” será lançado ainda este mês, e esta guerra comercial entre China e EUA pode até trazer benefícios a Portugal nos valores das propostas que serão apresentadas.

Referimos ainda em 2017, que os americanos vêem Sines como a porta de entrada na Europa do gás natural liquefeito, facto então afirmado por Herro Mustafa, é Conselheira da Embaixada Americana em Lisboa e Encarregada de Negócios dos Estados Unidos no país, num almoço-debate organizado pela Câmara Americana de Comércio em Portugal, e que destaca ainda a capacidade do Porto de Sines no armazenamento deste gás e o facto de ser um porto de águas profundas e poder receber os maiores navios metaneiros que transportam este gás. A diplomata referiu que foi feita a experiência em abril, com a chegada a Sines do primeiro carregamento de Gás Natural Liquefeito americano.

Herro Mustafa recordou que em abril do ano passado chegou a Portugal o primeiro carregamento de Gás Natural Liquefeito norte-americano, precisamente a Sines, um porto de águas profundas capaz de receber os maiores navios metaneiros que existem.

Interesse reforçado, segundo a edição de sábado, de “O Público”, a 11 de setembro em reunião da “Comissão Bilateral Permanente Estados Unidos – Portugal”, realizada em Washington, a 11 de setembro.

A guerra por Sines já se esperava, dado os alertas de Roland Marcellus, vice-secretário-adjunto do Departamento de Estado dos EUA para Finanças Internacionais e Desenvolvimento, quando visitou Portugal em dezembro passado, pouco depois da visita do presidente Chinês, Xi Jinping, alertando o americano para uma especial atenção aos negócios com empresas estatais estrangeiras e que são beneficiárias de vantagens face a outras, reforçando logo aí o interesse americano em Sines.

 

Imagem de redants.sg

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.