11 Fevereiro 2019      10:21

Está aqui

Construção da linha férrea no Alentejo vai criar 3 mil postos de trabalho

Hoje o Primeiro-Ministro, António Costa, está em Redondo para a adjudicação da empreitada de construção da linha ferroviária Évora-Elvas, via férrea que vai custar 46,6 milhões de euros e é complemetar do corredor Sines-Badajoz, a "maior obra ferroviária dos últimos 100 anos" como o Ministro do Planeamento, Pedro Marques, a gosta de tratar.

E, com excepção do pequeno troço que atravessa Évora e que está a gerar constestação local, avançam as adjudicações dos diferentes troços que vão compor esta grande ligação do Porto de Sines a Espanha. Segundo uma peça do Público de hoje, assinada por Carlos Cipriano, a nova linha será assente numa plataforma de via dupla, o que permitirá no futuro proceder à sua duplicação se tal se tornar necessário. O investimento global está estimado em 476 milhões de euros e quando os três troços estiverem em construção estima-se que haverá 3000 trabalhadores empregues directamente nas obras. O que vai causar um impacto relevante na economia do Alentejo.

Este corredor ferroviario estima-se pronto em 2021 e vai encurtar em cerca de 200 quilómetros a ligação ferroviária entre aquele porto alentejano e a cidade fronteiriça de Elvas, aumentando a capacidade diária na saída de Sines dos actuais 36 comboios de 400 metros de comprimento para 51 comboios diários de 750 metros, mais que duplicando a capacidade de resposta.

 

Imagem de capa de MESSALA CIULLA

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.