23 Abril 2019      09:59

Está aqui

Reprogramação dos fundos comunitários corrigiu injustiças com o Baixo Alentejo

Pedro do Carmo, deputado do PS eleito por Beja
Pedro do Carmo considera que o resultado da reprogramação dos fundos comunitários foi positiva para o Baixo Alentejo e que veio corrigir um quadro comunitário, que foi negociado pelo PSD e pelo CDS em "desfasamento com a realidade do país, com a segurança e com o acesso dos cidadãos aos principais serviços públicos e centros urbanos".
 
Para o deputado eleito pelo PS por Beja, o Portugal 2020 (o quadro de financiamento comunitário) deixou de fora por exemplo, "o investimento na infraestrutura rodoviária", tanto das principais redes viárias, como na rede secundária, um dos principais problemas que "afligiu" até agora a governação PS, problema corrigido para o deputado socialista na "primeira oportunidade de reprogramação" embora também considere que "não conseguiu tudo!".
 
Pedro do Carmo lembra que o atual programa operacional regional do Alentejo já aprovou, para o Baixo Alentejo, "mais de 100 000 000€ em projetos vocacionados para a saúde, equipamentos sociais, espaços de fixação de empresas e escolas", elogiando o atual cabeça de lista do PS às Europeias, o ex-ministro Pedro Marques, por ter negociado um acréscimo de 5 milhões de euros para investimentos nas escolas da região, e compara os 104 milhões de "projetos já aprovados" no Baixo Alentejo, com os 89 milhões do Alentejo Central e os 99 milhões do Alto Alentejo.

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.