14 Janeiro 2020      09:10

Está aqui

Alqueva vai testar sistemas de turbinas e bombas mais amigas do ambiente

Sete países, 18 milhões de euros e 15 instituições de outros cinco países, sustentam um consórcio que procura desenvolver e testar tecnologia para melhorar a eficiência de centrais hidroelétricas como o colosso de Alqueva.

As centrais hidroelétricas de Frades, Alqueva, Alto Lindoso e Caniçada vão testar novos sistemas de turbinas e bombas num projeto conhecido por Xflex Hydro, que tem um orçamento de 18 milhões de euros, é financiado pela Comissão Europeia e está a ser liderado pela Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), na Suíça.

O objetivo do Xflex Hydro é desenvolver novas tecnologias que tornem mais eficientes as turbinas e bombas das centrais hidroelétricas, contribuindo para a descarbonização do setor energético.

As melhorias alcançadas deverão contribuir para o objetivo de a Europa produzir, por via de fontes renováveis, 32% da energia até 2030. Os testes dos novos sistemas vão ser feitos na Suíça, França e Portugal – com as centrais hidroelétricas de Frades, Alqueva, Alto Lindoso e Caniçada a serem as escolhidas em território português para os testes, como se pode ler numa peça da revista Visão, assinada por Rui da Rocha Ferreira.

Os resultados da investigação e dos testes vão ser partilhados com a Comissão Europeia em 2023 e deverão incluir recomendações de adoção tecnológica, assim como recomendações políticas e de mercado.

Considerado o maior lago artificial da Europa, com uma área de 250Km2 entre Portugal e Espanha, a barragem de Alqueva tem uma distância de 85 Km aproximadamente desde o ponto de enchimento até ao paredão de Alqueva, e tem uma capacidade de armazenamento de 4150hm3 de água, profundidade máxima de 152m e 1160 km de margens (maior que toda a costa marítima Portuguesa).

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.