29 Dezembro 2018      13:12

Está aqui

Alentejanos integram estudo sobre o insucesso a Matemática

O Ministério da Educação criou uma “task force” coordenada pelo matemático Jaime Carvalho e Silva, professor na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, e que analisará as duas últimas décadas de ensino da Matemática nas escolas básicas e secundárias para posteriormente fazer recomendações ao governo.

Este grupo de trabalho – não remunerado – conta com dez professores - matemáticos, professores de ensino básico e secundário e especialistas em educação – e já está formalmente constituído sendo que o despacho publicado em Diário da República define o objeto de análise do estudo: a evolução dos resultados a Matemática nas duas últimas décadas, desde o histórico de taxas de sucesso, das taxas de recuperação, dos programas da disciplina, da eficácia de medidas de apoio e das metodologias de ensino, entre outros, de modo a perceber a eficácia dos planos e medidas de melhoria das aprendizagens e de promoção do sucesso escolar adotados nos últimos anos.

Ao matemático Jaime Carvalho e Silva, juntam-se Luís Gabriel, da Direcção-Geral da Educação, e os professores universitários Carlos Albuquerque, do departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e Maria Leonor dos Santos, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e a representante “alentejana” Ana Paula Canavarro, do departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora. Acrescem os professores de Matemática Célia Mestre, professora de ensino básico na escola de Vale Flores (Feijó), e Olga Seabra, docente de Matemática e Ciências da Natureza do 2.º ciclo na Escola Básica do Sobrado (Valongo) e os de 3.º ciclo e secundário Hélder Martins, da Escola Secundária António Damásio (Lisboa), João Almiro, da Secundária de Tondela, e o segundo representante “alentejano”, Paulo Correia, há muitos anos na Secundária de Alcácer do Sal.

Prevê-se que, num prazo de três meses, os resultados do relatório já estejam disponibilizados para consulta pública. No entanto, Jaime Carvalho e Silva já revelou que desta análise e deste grupo sairão propostas inevitáveis de alteração dos atuais programas e metas curriculares e que foram aprovados pelo ex-ministro da Educação Nuno Crato.

Da mesma opinião é o secretário de Estado da Educação, João Costa, que, no despacho, recordou que estudos anteriores apontavam para inúmeros constrangimentos nos currículos em vigor e metas curriculares demasiado ambiciosas, prejudiciais para a aprendizagem.

 

Imagem de spm.pt

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.